Cuidados com a saúde ocular durante o verão

Cuidados com a saúde ocular durante o verão

Marina Roizenblatt*

23 de novembro de 2021 | 04h00

Marina Roizenblatt. FOTO: ARQUIVO PESSOAL

Seja pelo calor da estação ou pelo período de férias e festas de final de ano, o verão costuma ser um momento altamente esperado por todos. Frente à proximidade desta época do ano, vale mencionar algumas dicas pontuais sobre os cuidados com a saúde ocular a serem reforçadas nos próximos meses.

Em primeiro lugar: os óculos com proteção solar devem se tornar um acessório obrigatório no momento de exposição prolongada à luz do sol. Os dias tendem a ser mais longos e ensolarados durante o verão. Neste período, a utilidade dos óculos de sol vai além da capacidade de manter os olhos confortáveis quando em ambientes ensolarados, mas se fundamenta primordialmente na proteção que eles oferecem aos efeitos potencialmente danosos da luz ultravioleta emitida pelo sol. A literatura associa a exposição exacerbada a luz solar com o aparecimento de alguns tumores da superfície ocular que acometem a córnea e a conjuntiva, podendo estes serem malignos ou benignos. Um exemplo de um tumor benigno diretamente associado à exposição solar é o pterígio, membrana transparente que se origina na conjuntiva e que cresce sobre a córnea. Outros estudos associam a luz do sol com a progressão da catarata, doença caracterizada pela perda da transparência de uma lente que temos dentro do olho, o cristalino. E para poder obter todos esses benefícios que os óculos de sol podem proporcionar, a recomendação fundamental é checar o certificado de garantia de proteção dos óculos contra as luzes ultravioletas no momento da compra.

Partimos então para falar das piscinas, elemento este que não costuma faltar no cenário do verão. A maioria das piscinas utiliza cloro para garantir a desinfecção das suas águas. Muito bem, tal substância, quando em contato com a superfície ocular, pode desencadear uma irritação dos olhos que costuma vir acompanhada de vermelhidão a lacrimejamento. Muitos de nós já passaram por este tipo de situação que, embora reversível e incapaz de causar danos permanentes à visão, ainda sim é bastante desagradável. Ainda falando das piscinas e do cloro, segue mais um aspecto de alta relevância. Há uma fina película de lágrimas que recobre a superfície anterior do olho, a qual é chamada de filme lacrimal. Este filme lacrimal é responsável pela lubrificação e pela proteção ocular. Não apenas o cloro, como também outros produtos químicos usados para manter a água da piscina limpa, podem remover o filme lacrimal, novamente causando incômodo e vermelhidão ocular. Frente a isso, a dica de ouro é o uso dos óculos de natação, eles vão te ajudar a ter uma experiência mais prazerosa durante a natação do verão.

E para você que usa lentes se contato, segue uma recomendação importante: jamais nade enquanto estiver usando as suas lentes. E esta recomendação se aplica às piscinas, praias, lagos e, até mesmo, aos chuveiros e banheiras. Isso porque estas águas podem ser o abrigo de algumas ameaças invisíveis aos seus olhos: os microrganismos. Suas lentes de contato podem capturar alguns desses microrganismos, causando uma infecção ocular. Um dos agentes mais temidos do grupo de microrganismos é a Acanthamoeba, um protozoário capaz de causar uma doença ocular grave que pode resultar em cegueira em alguns casos mais graves.

Por fim, episódios de conjuntivite alérgica podem ser mais comum nos meses de primavera e verão, esta costumeiramente desencadeada pelo pólen das flores, o que justifica a maior prevalência nesta época do ano. Esta condição é caracterizada por episódios de coceira associada a olho vermelho e saída de secreção ocular. É mais comum em meninos de 10 a 12 anos e estes surtos tendem a melhorar com o avançar da idade. Porém, enquanto persistir, deve-se atentar para evitar a exposição a objetos ou ambientes que possam piorar a alergia ocular e, é claro, buscar sempre o oftalmologista para iniciar o tratamento mais adequado para cada caso.

Enfim, a chegada do verão demanda cuidados oculares específicos que garantam a possibilidade de usufruir-se com plenitude desta bela e tão esperada estação.

*Marina Roizenblatt, MD, PhD. Médica oftalmologista especialista em retina cirúrgica. Doutorado pela Universidade Federal de São Paulo. Postdoctoral research fellow pela Johns Hopkins University, USA

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.