#CrivellaCorreAqui

#CrivellaCorreAqui

Moradores do Rio recorrem a memes nas redes para criticar ofensiva da Prefeitura contra rapazes se beijando em quadrinhos na Bienal do Livro e postam imagens de enchentes, ruas esburacadas e outras mazelas da cidade

Pedro Prata

09 de setembro de 2019 | 16h20

Diante de tantos esforços da prefeitura do Rio para recolher na Bienal livros em quadrinhos que mostram dois rapazes se beijando, cariocas apelaram às redes sociais com memes para chamar a atenção do prefeito Marcelo Crivella (PRB) sobre as mazelas da cidade.

A repercussão foi tão forte que uma internauta criou um perfil no Twitter para agrupar todas as reclamações. A conta #CrivellaCorreAqui ficou recheada de imagens de enchentes, ruas esburacadas e deslizamentos de morros ao lado da ilustração dos dois personagens se beijando.

Na sexta, 6, fiscais da prefeitura foram até a Bienal para checar a forma como o livro em quadrinhos ‘Vingadores – A Cruzada das Crianças’ estava sendo comercializado. Foto: Wilton Junior/Estadão

‘Uma forma de expor situações críticas no RJ do único jeito que chama a atenção do nosso prefeito’, disse uma internauta.

Outras postagens lembram de casos de maior repercussão, como o desabamento da ciclovia Tim Maia e do Túnel Acústico Rafael Mascarenhas.

 

Entenda o caso

Na sexta, 6, fiscais da prefeitura foram até a Bienal para checar a forma como o livro em quadrinhos ‘Vingadores – A Cruzada das Crianças’ estava sendo comercializado.

Ainda na sexta, uma liminar do desembargador Heleno Ribeiro Pereira Nunes, do TJ-RJ, impedia a Prefeitura de apreender obras de temática LGBTQ. A decisão do desembargador atendeu a um pedido do Sindicato Nacional dos Editores de Livros.

No dia seguinte, porém, a Prefeitura obteve uma outra liminar do Tribunal de Justiça, desta vez do desembargador Claudio de Mello Tavares, que permitia apreender livros que tenham conteúdo considerado impróprio para crianças e adolescentes e não estejam devidamente lacrados e com alerta aos responsáveis.

A briga entre a administração de Crivella e a Justiça chegou ao Supremo.

O presidente da Corte, Dias Toffoli, atendeu a pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e voltou a barrar a apreensão de livros de temática LGBT.

Em outra decisão, o ministro Gilmar Mendes acolheu pedido a Bienal do Livro para garantir que a Prefeitura ‘abstenha-se de apreender qualquer livro exposto na Feira Bienal do Livro, e em especial a publicação ‘Vingadores: A Cruzada das Crianças”, como também de cassar o alvará de funcionamento da Bienal do Livro’.

 

COM A PALAVRA, A PREFEITURA DO RIO

“A Prefeitura do Rio de Janeiro vai interpor, no STF, embargos de declaração à decisão do ministro Dias Toffoli. No recurso, a Procuradoria Geral do Município afirma que a decisão não examina o fundamento da medida tomada pelo município do Rio de Janeiro ao fiscalizar a Bienal do Livro: a defesa de crianças e adolescentes, com base no Estatuto da Criança e do Adolescente, que determina que revistas e publicações contendo material impróprio ou inadequado para menores devem ser comercializadas em embalagem lacrada, com advertência sobre seu conteúdo.”

Tudo o que sabemos sobre:

Rio de Janeiro [cidade RJ]Marcelo Crivella

Tendências: