Crise anunciada já é realidade em importantes setores da economia

Thiago Shimada*

23 de outubro de 2020 | 03h30

Com a chegada da pandemia e a paralisação da indústria e comércio por algumas semanas, a economia foi amplamente afetada. Tais prejuízos começam, agora, a tomar forma e impactar na produção atual de diversos setores. O atual momento pode ser definido como um “apocalipse na indústria brasileira”, no qual a falta de algumas matérias primas já é uma realidade.

Diante do novo cenário em que os empresários se viram, uma decisão essencial apareceu para eles: comprar os itens necessários para a fabricação a um preço maior ou deixar de entregar ao cliente por falta de insumo? Na minha visão, a primeira opção é a mais acertada, pois trata-se da manutenção da parceria entre empresa e cliente. Ao comprar mais caro você consegue repassar o custo no preço final do produto. Já na segunda escolha você, simplesmente, não comercializa e deixa o seu cliente sem o item, o que afeta a solidez da parceria.

Além do dilema citado acima, existe uma questão precedente à pandemia que divide a realidade dos empreendedores: o estoque armazenado. Destaque para o case desenvolvido junto com alguns mentorados, que foi essencial no momento de crise. Fizemos um mapeamento de estoque, entendendo os produtos prioridade, que foram sendo estocados. Ao trabalhar previamente com esse estoque, o impacto ocorreu de maneira mais leve. Além disso, foi possível seguir com o desenvolvimento de um novo produto e agora, que os setores estão sendo mais afetados, eles já estão trabalhando na implementação desse novo produto.

Por fim, vale o sinal de alerta sobre os próximos meses na economia: A demanda do mercado está começando a voltar e está faltando tudo para todo mundo. Em suma: vai faltar mercadoria.

*Thiago Shimada, CEO da Academia da Marca

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.