Corrida para lista tríplice da Procuradoria vai de 6 a 15 de maio

Corrida para lista tríplice da Procuradoria vai de 6 a 15 de maio

Reunião na sede da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), nesta quarta, 3, definiu calendário para consulta à classe sobre pleito por sucessão de Raquel Dodge

Redação

03 de abril de 2019 | 18h46

Sede da PGR. Foto: João Américo / Secom / PGR.

Foi definido na manhã desta quarta, 3, na sede da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), em Brasília, o cronograma de trabalho da formação da lista tríplice para o cargo de procurador-geral.

O edital de abertura do processo de formação da lista será ‘divulgado em breve’, segundo a entidade.

A votação será dia 18 de junho.

Durante o encontro, os procuradores definiram que o período de inscrições para concorrer à lista tríplice vai de 6 a 15 de maio.

A campanha ocorrerá entre 16 de maio e 17 de junho.

Cabe ao presidente da República escolher o procurador-geral.

Tradicionamente, a lista tríplice é levada ao chefe do Executivo que escolhe um nome, independente da colocação no pleito interno da categoria.

Mas ele não é obrigado a indicar nenhum eleito pela classe dos procuradores.

Raquel Dodge, a atual mandatária do Ministério Público Federal, chegou ao topo da instituição no governo Temer.

Ela pegou o segundo lugar no escrutínio dos procuradores. Não revela se vai disputar a eleição em busca da recondução.

Para que os pré-candidatos possam mostrar suas plataformas de campanha, serão realizados debates em seis capitais: Belém (20/05), Recife (31/05), São Paulo (04/06), Rio (05/06), Porto Alegre (11/06) e Brasília (14/06).

Os diretores da Associação Alan Mansur e Caroline Maciel coordenaram o encontro.

Integrantes da futura diretoria, entre eles, o candidato único a presidente da ANPR, Fábio George da Nóbrega, também participaram da reunião.

Foram à reunião na sede da entidade, os subprocuradores-gerais da República Mario Luiz Bonsaglia e Nicolao Dino, e os procuradores regionais da República Lauro Pinto Cardoso Neto (PRR1), Blal Yassine Dalloul (PRR2) e Vladimir Aras (PRR1).

O diretor de comunicação da ANPR, Alan Mansur, destacou a importância de se respeitar o resultado da lista tríplice.

“A lista é um importante instrumento para a preservação da autonomia do Ministério Público Federal e todos os pré-candidatos declararam apoio à escolha do procurador-geral a partir desse processo, de forma democrática e coletiva”, afirma Mansur.

Para a diretora secretária da Associação, Caroline Maciel, qualquer mudança no processo de escolha do PGR seria um retrocesso institucional. “Os membros do Ministério Público Federal não cogitam solução que não seja por meio da consulta à carreira.”

Tendências: