Corregedoria mira suposta negociação de juízes do Pará com ex-prefeito

Corregedoria mira suposta negociação de juízes do Pará com ex-prefeito

Ministro Humberto Martins, corregedor-nacional de Justiça, instaurou procedimento para acompanhar investigação disciplinar da Corregedoria-Geral de Justiça do Pará sobre dois magistrados que teriam participado de acerto com político do município de Santa Luzia do Pará

Pepita Ortega

19 de julho de 2019 | 13h28

Humberto Martins. FOTO: Gustavo Lima/STJ

O corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, instaurou procedimento para acompanhar a investigação disciplinar da Corregedoria-Geral de Justiça do Pará sobre dois juízes que, supostamente, teriam participado de uma negociação de sentença.

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, do Tribunal de Justiça do Pará, determinou na terça, 16, a abertura de uma sindicância administrativa sobre conduta atribuída aos juízes Raimundo Moisés Alves Flexa e Marco Antônio Lobo Castelo Branco.

O caso foi encaminhado para a juíza Rubilene Silva Rosário, que terá 30 dias para finalizar a investigação.

Segundo nota da Corregedoria Nacional de Justiça, os magistrados teriam participado de uma suposta negociação com o ex-prefeito do município de Santa Luzia do Pará, Adamor Aires.

Com cerca de 20 mil habitantes, Santa Luzia fica a 170 quilômetros de Belém.

Gravações atribuídas aos magistrados apontam indícios de que o ex-prefeito recorreu aos juízes com o objetivo de evitar condenação junto ao Tribunal Regional Eleitoral, em 2014.

Para o ministro, o acompanhamento da sindicância por parte da Corregedoria Nacional é necessário por causa da competência disciplinar concorrente do órgão.

O Tribunal de Justiça do Pará terá 5 dias para prestar informações sobre a investigação em curso e 60 dias para apresentar as conclusões do procedimento.

O Tribunal de Justiça do Pará. Foto: Google Maps

COM A PALAVRA, OS JUÍZES

A reportagem entrou em contato com a Assessoria de Imprensa do Tribunal de Justiça do Pará solicitando posicionamento dos magistrados. O espaço está aberto para manifestações.

COM A PALAVRA, O EX-PREFEITO DE SANTA LUZIA DO PARÁ

A reportagem tenta contato com Adamor Aires. O espaço está aberto para manifestação. (pepita.ortega@estadao.com)

Tudo o que sabemos sobre:

Humberto MartinsPará [estado]

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.