Coronel da PM investigado por soco no peito de delegado de 80 anos

Coronel da PM investigado por soco no peito de delegado de 80 anos

Alberto Sardilli, da PM de São Paulo, é acusado de agressão a Milton Rodrigues Montemor, aposentado da Polícia Civil, que sofreu fratura de ossos do braço e do fêmur e foi parar na UTI

Luiz Vassallo

25 de outubro de 2018 | 16h29

Reprodução do Boletim de Ocorrência

A Polícia Civil de São Paulo investiga denúncia de agressão a soco que o coronel da PM Alberto Malfi Sardilli teria desferido contra o delegado aposentado Milton Rodrigues Montemor, de 80 anos. A ocorrência foi registrada no 39.º Distrito Policial da Vila Gustavo, na segunda-feira, 25.

O Boletim de Ocorrência foi registrado pelo filho do delegado, o investigador Cristiano Rodrigues Montemor. Ele narrou que no dia anterior, às 16h30, estava com a família em um evento no Recanto Nossa Senhora de Lourdes, na zona Norte da capital, quando em dado momento Sardilli desentendeu-se com uma irmã do delegado.

Ainda segundo o boletim policial, Montemor intercedeu e ‘cessou o entrevero’.

Segundo o relato, ‘não contente, o coronel da PM ficou à porta do evento aguardando’ pelo delegado, ‘que, ao seguir em direção ao estacionamento, foi surpreendido com um soco no peito, fazendo com que caísse ao chão’.

Após derrubar o velho delegado ao chão, o coronel teria tentado ‘continuar com a agressão, sendo contido pelas pessoas ali presentes’.

“O autor [Sardilli] evadiu-se do local; já a vítima, que tem 80 anos, foi socorrida pelos familiares ao Hospital San Paolo, onde foi diagnosticado com fratura transtrocanteriada no fêmur esquerdo e fratura da extremidade proximal do úmero esquerdo, ambos de tratamento cirúrgico, seguindo assim na UTI até a realização do procedimento”, narra o Boletim de Ocorrência.

COM A PALAVRA, O CORONEL

A reportagem está tentando contato com o coronel da Polícia Militar Alberto Malfi Sardilli. O espaço está aberto para manifestação do oficial.

COM A PALAVRA, A SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA

O caso foi registrado no 39º DP (Vila Gustavo) como lesão corporal grave e será investigado pela 4ª Seccional (Norte). O coronel, que está licenciado, apresentou sua versão na Corregedoria da Polícia Militar e será ouvido no inquérito instaurado pela Polícia Civil.

São Paulo, 25 de outubro de 2018.

COM A PALAVRA, PM

Nota à Imprensa

A Polícia Militar esclarece que o Coronel está licenciado e participava de um evento beneficente, quando ocorreu um desentendimento. O Oficial apresentou sua versão na Corregedoria da Polícia Militar, que fornecerá à Polícia Civil todas as informações necessárias para o esclarecimento que o caso requer.

São Paulo, 25 de Outubro de 2018.

Tudo o que sabemos sobre:

Polícia Militar

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.