Coronavírus: o que o empreendedor pode fazer nessa hora?

Coronavírus: o que o empreendedor pode fazer nessa hora?

Pedro Rosa*

24 de março de 2020 | 10h30

Pedro Rosa. FOTO: DIVULGAÇÃO

Uma pandemia que faz as autoridades do país tomarem medidas restritivas à circulação de pessoas, reduzindo abruptamente o número de clientes que consomem seus produtos e serviços. Novas notícias a todo momento, que trazem mais restrição e impactos em diversos setores da economia. Pacotes de incentivo sendo anunciados diariamente, num esforço para minimizar os efeitos que, até o momento, são imensuráveis e sem prazo seguro que afirme quando tudo voltará ao normal.

Para quem é empreendedor, os desafios fazem parte da jornada, mas certamente o cenário atual exigirá outra postura ao planejar e executar as tarefas do seu negócio. A única certeza no momento é que o caixa do negócio tende a ficar menor a cada dia e isso ameaça planos, continuidade e sonhos. Então a pergunta passa a ser: O que fazer nessa hora?

  1. Renegocie o prazo com fornecedores e bancos

Você sabe quanto de caixa tem disponível e quanto tempo ele se mantém nessa crise? Na prática, o que está acontecendo na maioria das empresas é que as saídas de caixa (despesas) têm previsibilidade, mas as entradas (receitas) não. Diante dessa realidade, comece reorganizando o que tem previsto a receber e seja cauteloso nesta conta. Avalie a estimativa de despesas, faça contato com os principais fornecedores e negocie a extensão do prazo de pagamento. Não corra para o banco sem antes fazer contas, pois esse caminho pode te dar sobrevida, porém ao mesmo tempo, te levar a ter problemas para cumprir seus futuros compromissos financeiros. O ideal agora é entender rapidamente os impactos de curto e médio prazo para o seu caixa e identificar qual a melhor linha de crédito disponível para uso, se essa for a saída identificada. Trabalhe para que o crédito esteja à disposição, caso você precise recorrer a ele. Todavia não contrate sem antes fazer as contas e tampouco tenha empréstimo como premissa.

  1. Avalie despesas que podem ser reduzidas

Quando uma crise vem, ela traz também a oportunidade de entender até que ponto seu negócio é eficiente. Certamente, ao avaliar o fluxo de caixa, você identificará a possibilidade de redução de despesas. Com a queda das vendas, uma despesa que reduzirá será a variável, que são gastos com insumos, por exemplo. As despesas fixas, que ocorrem independente das vendas, a exemplo da folha de pagamento e aluguel, podem pesar nessas horas exigindo planejamento. Diante disso, a tentativa de reduzir o valor do aluguel durante esse período pode ser uma alternativa. Adotar “home office” para a equipe pode representar redução de custos com energia, transporte e alimentação, além de colaborar com a redução de riscos de contágio do vírus. Avaliar a possibilidade de reduzir a jornada de trabalho da equipe e antecipação de férias, também pode contribuir.

  1. Venda por outros canais

Enxergue oportunidades. Realizar vendas por delivery, seja telefone ou aplicativos, pode ser uma alternativa em lugar da loja física, que sofre com as medidas que regulam circulação de pessoas. Intensifique o trabalho com as redes sociais como ferramenta para endereçar a oferta de produtos aos clientes. Orientar a compra pela loja virtual traz segurança na relação com o cliente, além de ser uma alternativa para recuperar vendas perdidas em outros canais. A depender do modelo do seu negócio, vender online pode ser uma experiência que te ajudará não somente no período da crise atual, como também poderá significar o amadurecimento de um canal com capacidade de dar escala ao negócio no futuro. Para isso, disponibilize uma trilha de atendimento especial que auxilie seu cliente durante a compra online, o que fará a diferença na conversão. A busca por uma plataforma de marketplace para distribuição do produto, é algo que também pode ser estudado, principalmente ao se considerar que a crise não tem prazo para terminar e que toda estratégia de venda pode representar um incremento de receita.

Muitas tarefas podem ser executadas durante esse período e não existe a receita perfeita do bolo. É hora de não se deixar levar pela emoção ou pelo medo. Pense e estude o negócio, defina cenários para atuar da melhor maneira. Ser empreendedor exigirá liderança e coragem para fazer o que precisa ser feito, ainda que sejam decisões difíceis. A depender da forma como serão modeladas as saídas da crise, é possível crer que mais forte estará a empresa, o empreendedor e seu time no término de tudo. Então tenha bom ânimo e siga em frente.

*Pedro Rosa, CEO e fundador da fintech Vamos Parcelar

Notícias relacionadas

Tudo o que sabemos sobre:

Artigocoronavírus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: