Coronavírus: juíza libera 80 respiradores comprados pela prefeitura do Rio em 2019

Coronavírus: juíza libera 80 respiradores comprados pela prefeitura do Rio em 2019

Ana Beatriz Mendes Estrella determinou que empresa Magnamed Tecnologia Médica entregasse equipamentos para evitar 'perigo de dano irreparável' ao município

Paulo Roberto Netto

22 de abril de 2020 | 10h55

A juíza Ana Beatriz Mendes Estrella liberou 80 respiradores comprados em 2019 pela Prefeitura do Rio de Janeiro para o combate ao novo coronavírus. A decisão atende pedido apresentado pela Procuradoria Geral do Município, da gestão Marcelo Crivella (Republicanos) nessa terça, 21.

Segundo a gestão municipal, os equipamentos foram adquiridos no ano passado em pregão presencial no valor total de US$ 744.149,61, mas a empresa Magnamed Tecnologia Médica tem se recusado e entregá-los, alegando determinações do Ministério da Saúde. A pasta, contudo, enviou ofício em março afirmando que os respiradores estavam liberados para a entrega a hospitais estaduais e municipais.

Hospital de campanha para casos de Covid-19 no Riocentro. Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio

Em decisão, a juíza Estrella afirmou que havia ‘perigo de dano irreparável’ no caso devido ao aumento diário de novos casos de Covid-19 na capital fluminense e pacientes que necessitam do uso de respiradores.

“Bem como a saturação do sistema municipal de saúde, que, conforme amplamente noticiado, está perto de atingir sua capacidade máxima de ocupação”, apontou.

Atualmente, o Município tem cerca de 90% dos seus leitos de UTI ocupados.

De acordo com a Prefeitura do Rio, os respiradores serão destinados ao Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, que se tornou a referência hospitalar para casos de internação por coronavírus. A gestão municipal, contudo, pontuou que os equipamentos podem ser remanejados para outras unidades quando novos respiradores comprados na China chegarem à cidade.

COM A PALAVRA, A EMPRESA MAGNAMED TECNOLOGIA MÉDICA
A reportagem busca contato com a empresa Magnamed Tecnologia Médica. O espaço está aberto a manifestações (paulo.netto@estadao.com).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.