Contra fraudes, TRE do Rio vai fazer auditoria nas urnas no dia da eleição

Contra fraudes, TRE do Rio vai fazer auditoria nas urnas no dia da eleição

Corte determinou que fiscais dos partidos, representantes do Ministério Público e da OAB confiram os votos que são digitados nas urnas e, após o encerramento da votação, verifiquem se o resultado corresponde aos votos digitados

Julia Affonso

15 de julho de 2016 | 16h06

Foto: Filipe Araujo/Estadão

Foto: Filipe Araujo/Estadão

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) regulamentou auditoria das urnas eletrônicas no dia da eleição. A Corte determinou, por meio da Resolução 958/2016, a ‘votação paralela’, uma perícia para ‘verificar a segurança e o correto funcionamento do sistema de votação’.

Segundo o Tribunal, durante a auditoria, fiscais dos partidos, representantes do Ministério Público e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) conferem os votos que são digitados nas urnas e, após o encerramento da votação, verificam se o resultado corresponde aos votos.

Na véspera da eleição, o TRE-RJ informou que sorteará, em audiência pública e na presença dos representantes dos partidos, as seções eleitorais cujas urnas serão testadas na votação paralela. As urnas sorteadas são recolhidas, sob a fiscalização dos partidos, e levadas para um local em que todas as ações são filmadas e registradas. No dia da eleição, todas as etapas dessa votação são realizadas na presença de auditores externos, inclusive da imprensa local.

A resolução instituiu também uma comissão, composta por servidores do TRE-RJ e presidida por magistrado, para planejar, organizar e divulgar todos os procedimentos da votação paralela, que serão fiscalizados também por um representante do Ministério Público Eleitoral.

Tudo o que sabemos sobre:

eleições 2016Rio de JaneiroTRE-RJ

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.