Contadores também são profissionais da saúde

Contadores também são profissionais da saúde

Murillo Torelli Pinto*

06 de abril de 2020 | 13h45

Murillo J. Torelli Pinto. FOTO: DIVULGAÇÃO

Hoje, com a epidemia da covid-19, a população está muito preocupada com a saúde, todos temos que ficar em casa, evitando o contato social. Não tenho dúvidas que ficar em casa nesse momento é uma solução para controlar e diminuir a contaminação do vírus. Algumas profissões, no entanto, não conseguem e não podem ficar em casa, como é caso dos profissionais da saúde, médicos e enfermeiros, que trabalham arduamente para salvar vidas nos hospitais e prontos-socorros.

Estamos na primeira onda da doença (conforme defendido pelo ministro da economia Paulo Guedes), onda que está afetando a saúde das pessoas. A segunda onda doença ainda não aconteceu, mas vai impactar mais que a saúde. Por dezenas de dias os comércios, as indústrias e os prestadores de serviços estão e vão continuar parados. Estar parado para uma empresa significa não entrar nenhum recurso financeiro, mas com inúmeras despesas e custos que representam saídas de recursos financeiros.

A conta para empresas é simples: saída de dinheiro sem entrada, significa problema de liquidez, ou pior, a não continuidade da atividade econômica. Empresas sem liquidez (dinheiro) não conseguem pagar salários, fornecedores, aluguéis, impostos…. As empresas estão ficando doentes e com o atual cenário, vão ficar com saúde ainda pior. Um dos primeiros impactos da falta de saúde nas empresas são as demissões.

No meio deste cenário caótico o ex. presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez a seguinte publicação no Twitter.

O ex. presidente faz uma clara analogia com equipe econômica do governo (que ele considera ineficiente) e contadores (que ele também considera ineficientes).

Gostaria de informar ao ex-presidente que os profissionais das Ciências Contábeis serão os próximos profissionais da saúde. Esses profissionais cuidarão da saúde e da sobrevivência das empresas. Contadores trabalham e trabalharão ainda mais para cuidar da gestão, controle de custos, apresentação de informações para o mercado, além de toda e qualquer estratégia, dentro da ética profissional, para a sobrevivência das empresas.

Concluo que os contadores já são profissionais da saúde e trabalharão arduamente como enfermeiros e médicos garantindo a sobrevivência das empresas e dos empregos.

*Murillo Torelli Pinto é professor de Contabilidade Financeira e Tributária da Universidade Presbiteriana Mackenzie, e mestre em Controladoria e Contabilidade da FEA-RP/USP

Tudo o que sabemos sobre:

Artigocoronavírus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: