Como os testes psicológicos estão mudando o mundo corporativo?

Como os testes psicológicos estão mudando o mundo corporativo?

André Martin Marquez Ventura*

25 de agosto de 2021 | 04h00

André Martin Marquez Ventura. FOTO: DIVULGAÇÃO

É fundamental que os processos seletivos, externos ou internos, bem como os processos de assessment, treinamentos, capacitação de equipes ou programas de desenvolvimento de líderes, cuidado psicossocial e de qualidade de vida sejam bem estruturados e eficientes, e é justamente aqui que os testes psicológicos têm potencial para protagonizar como ferramenta essencial.

É necessário uma equipe de RH que tenha uma visão ampla do negócio, saber identificar os estímulos de cada posição, compreender suas diferenças, descrever as necessidades do cargo, as competências técnicas e comportamentais que ele demanda, conhecer os processos cognitivos envolvidos, as principais teorias da personalidade e seus respectivos instrumentos de avaliação.

Em relação aos instrumentos de avaliação, ou seja, os testes psicológicos, são ferramentas que permitem a mensuração e a interpretação de constructos cognitivos, psíquicos e emocionais de uma pessoa, e é muito importante que possuam qualidade técnico-científica, bem como propriedades psicométricas avaliadas e reconhecidas.

Todos sabemos, ao menos de forma observável, que quem não faz aquilo que gosta, que não se identifica ou não vê sentido na tarefa que executa, pode até ter a capacidade para realizar de forma satisfatória por algum tempo, mas isso não se sustenta no médio ou longo prazo, pois quando as necessidades motivadoras do comportamento do indivíduo não estão sendo satisfeitas, passam a ser fontes de frustração, e ele não se envolverá mais com a melhoria dos processos, resultando assim em impacto direto na performance da pessoa e na produtividade da equipe.

No contexto de desenvolvimento de pessoas, os testes psicológicos também têm papel fundamental, não apenas para os líderes poderem conhecer melhor o perfil de seus funcionários, mas também através de um rico processo de autoconhecimento dos profissionais através da compreensão de seus perfis motivacionais, além de trazer uma melhor dinâmica e produtividade das equipes, redução de conflitos interpessoais, maior integração com a cultura organizacional da empresa e uma alta performance para o alcance de melhores resultados para a instituição.

Para a liderança, há a oportunidade de explorar o perfil do grupo e de seus membros, identificar carências e tendências predominantes, aspectos heterogêneos, diferenças individuais, fontes de possíveis conflitos, auxiliar no planejamento da distribuição das tarefas e/ou funções dos membros da equipe, trabalhar aspectos comportamentais, estilos de gestão, atitudes e posturas assertivas em relação aos fatores motivacionais.

A aplicação de testes psicológicos ajuda a identificar fragilidades que podem permitir ao RH intervenções assertivas em prol da saúde física e emocional dos colaboradores. Um dos principais benefícios é justamente na otimização e assertividade do processo seletivo, desde o auxílio na triagem das pessoas, redução no tempo do processo e tranquilidade para uma decisão mais acertada, baseada em critérios científicos.

Uma maior satisfação é percebida nos funcionários, por estarem em posições alinhadas às suas motivações intrínsecas, habilidades cognitivas e competências comportamentais. É possível observar também uma melhora significativa no ambiente e na qualidade das relações interpessoais de seus colaboradores, com melhora do trabalho em equipe, criação de times estratégicos e de alta performance, refletindo diretamente e positivamente no clima organizacional, uma vez que há redução das divergências e conflitos entre os integrantes do time.

A utilização de testes psicológicos representa uma oportunidade valiosa para as organizações, em diversos contextos, com resultados mensuráveis e significativos. O desafio é garantir que esses instrumentos sejam corretamente selecionados e usados adequadamente.

*André Martin Marquez Ventura é psicólogo na Vetor Editora

Notícias relacionadas

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.