Como melhorar a comunicação entre empresa e colaboradores

Como melhorar a comunicação entre empresa e colaboradores

André Franco*

22 de fevereiro de 2020 | 05h00

André Franco. FOTO: DIVULGAÇÃO

Uma boa comunicação dentro de uma empresa é essencial para um ambiente menos estressante e mais harmônico. De acordo com uma pesquisa realizada pela empresa Dynamic Signal, cerca de 80% de seus colaboradores que participaram do levantamento, disseram que a ausência de comunicação acarreta em um ambiente estressante de trabalho. E como exemplo disso, podemos perceber o alto índice de pessoas com problemas psicológicos e o surgimento de doenças relacionadas ao trabalho como a Síndrome de Burnout, identificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) recentemente.

Por isso, empresas que desejam se manter atualizadas precisam investir no serviço de comunicação interna para ontem. Mesmo porque, essa nova geração que tem chegado ao mercado de trabalho – conhecida como geração Z – não vai querer trabalhar em um local sem propósito. Mas você deve estar se perguntando o motivo da comunicação interna bem feita ser tão importante para as corporações.

Um líder, dependendo do tamanho da empresa, nem sempre vai ter acesso a todos os colaboradores e isso pode criar uma distância e um sentimento de falta de significância e pertencimento para os colaboradores. E quando falamos dessa geração atual, precisamos lembrar que são jovens que gostam de ser ouvidos e querem ajudar em tomadas de decisões, notando sua relevância na organização, além de estarem  informados sobre o que acontece na companhia, e não apenas nos seus silos.

Em caso de uma corporação que não tem uma comunicação interna alinhada, o contato entre a liderança e os colaboradores operacionais, normalmente, acontece via ‘cascateamento de informação’, um novo termo que vem sendo usado pelo setor de recursos humanos, que significa que a informação deve ser compartilhada por um grande número de pessoas. Outro ponto importante é analisar se essa essa troca de informação, sem filtro, não facilita o famoso telefone sem fio, alimentando ainda mais a “rádio-corredor”.

Como melhorar a comunicação e evitar esses problemas?

Para lidar com a nova geração citada acima, é preciso adaptar-se à forma que ela tem maior propensão de consumir informação e se engajar. Assim, o uso de tecnologia e formatos que se assemelham com redes sociais – que são muito usadas pelos jovens no Brasil – podem ser um ganha-ganha, pois além de atrair colaboradores, geram métricas de alcance, absorção e engajamento para os gestores. Isso porque, é um local criado apenas para essa comunicação da empresa, com uma linguagem mais informal, para chegar em colaboradores de todos os cargos. Nela é possível criar diálogos, informar novidades e até identificar quem são os influenciadores da sua equipe.

Com esse canal mais claro e mais efetivo do que comunicados em cartazes ou e-mails – que muitas vezes são ignorados pelos colaboradores – é possível que o setor de recursos humanos também comunique para todos os benefícios que a empresa lhes proporciona, pois muitos colaboradores nem sabem os benefícios que podem ter. No momento em que descobrem, vestem ainda mais a camisa daquela empresa e, assim, pode se transformar em um ´vendedor indireto’, ou seja, ele fala bem da empresa para as pessoas externas pelos simples fato de sentir orgulho de pertencer aquela equipe, podendo gerar resultados de negócios. O mesmo podemos dizer com o seu desempenho na entrega de resultado, pois já está mais que comprovado que colaborador feliz, que é valorizado e, acima de tudo, reconhecido por meio de uma boa comunicação, gera mais resultados sem precisar ficar horas maçantes dentro do escritório.

Além disso, não basta apenas implementar boas campanhas de comunicação e se esquecer do fato de que é preciso mensurar sua eficácia. Para isso, também já é possível adotar ferramentas que proporcionam isso, gerando um melhor acompanhamento do desenvolvimento da comunicação, por meio de medição de alcance, leitura e absorção de conteúdos, identificando qual departamento está mais defasado quando o assunto é comunicação interna. Nesse mesmo item, também é possível medir como está a satisfação dos colaboradores que, quando felizes, além de gerarem mais resultados, diminui também o índice de turnover e aumenta o sentimento de pertencimento.

Se você é um empreendedor e tem uma empresa, vai querer se atualizar ou ficar para trás das tendências de comunicação internas atuais?

*André Franco é CEO da Dialog

Notícias relacionadas

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.