Como hackear o processo de aprendizagem e alavancar sua competitividade profissional

Como hackear o processo de aprendizagem e alavancar sua competitividade profissional

Gabriel Costa*

13 de junho de 2020 | 05h00

Gabriel Costa. FOTO: DIVULGAÇÃO

Você estudou por mais de quinze anos e talvez nunca tenha aprendido “como aprender”. A escola nos ensina a passar em provas mas não ensina o mais importante: como realmente absorver novas informações de forma eficiente. Conseguir aprender rápido e com qualidade é uma das maiores vantagens competitivas atualmente. Principalmente quando temos uma crise à vista.

Desde cedo eu percebi que  gostava de absorver informações e acabei me dedicando muito a esse assunto nos últimos quatro anos para, de fato, “aprender a aprender”. Um ponto fundamental para mim é a organização. Organize todo o aprendizado, ideias, conteúdos e práticas em um guia claro, simples e direto. Um guia que você mesmo possa consultar e revisar constantemente.

Vivemos em um grande paradoxo atualmente. Por um lado, estamos no melhor momento da humanidade para quem quer aprender. Enquanto historicamente o conhecimento sempre foi algo elitizado, hoje ele é democratizado. Todavia, também estamos no auge das distrações. Nossa capacidade de foco e concentração estão cada vez mais debilitadas.

Eu diria que a concentração, ao lado da capacidade de aprendizado são as duas habilidades mais importantes na nova economia. Um exemplo prático: as profissões mais valorizadas atualmente simplesmente não existiam há cinco anos. São posições disputadas e muito valorizadas exatamente porque poucas pessoas conseguem desempenhar bem. As pessoas que conseguem aprender e se adaptar mais rapidamente ocupam estas posições.

Enfrentamos diversos desafios no processo de aprendizagem e conhecê-los é o primeiro passo para conseguir superá-los. O formato de ensino do colégio; a forma que os adultos absorvem o conhecimento; distrações; aspectos fisiológicos e emocionais. Os pontos citados são apenas algumas das questões que podem implicar na aquisição de novos conhecimentos.

Por isso, eu resumi o que considero mais essencial em quatro passos. Existem muitas microtécnicas que podem ajudar no caminho, mas os fundamentos são esses. Se preocupe em aprender e executar os passos abaixo com qualidade.

1. Defina o que quer aprender e divida o assunto em pequenos pedaços

Pegue o assunto que você escolheu aprender e quebre em pedaços menores. Feito isso, foque em aprender pedaço por pedaço e depois junte tudo. Esse passo é super importante pois sua atenção precisa estar concentrada em algo bem específico que você quer aprender. Isso ajuda a reduzir a ansiedade de querer aprender tudo e também ajuda a desenvolver com profundidade naquele aspecto.

2. Receba feedbacks constantes (da pessoa certa)

Talvez a maior diferença entre a prática deliberada da simples repetição seja o feedback. Qualquer pessoa que tenha se aperfeiçoado em aprender dessa forma, desenvolveu métodos de receber feedbacks constantemente sobre seu desempenho. O feedback é fundamental pois só com ele você vai saber os pontos mais importantes e que merecem atenção total.  Para ajudar nesse processo de feedback e foco no lugar correto, é fundamental ter bons mentores. Os mentores certos sabem onde você deve focar sua atenção e como te desafiar.

3. Descanse

Como a prática deliberada requer sua atenção total, com o máximo de esforço físico e mental, isso só pode ser sustentado de forma saudável por um determinado período de tempo. Por isso, se torna tão fundamental descansar de verdade. É importante compensar o intenso esforço da prática deliberada com qualquer tipo de atividade de lazer ou relaxamento. Isso vai ajudar a evitar a fadiga mental ou física.

4. Repita o processo

Por fim, depois de descansar, precisamos continuar e repetir o processo. Repetir o processo é importante porque somos mais capazes de recordar informações e conceitos se os aprendermos em várias sessões dispersas. É nisso que consiste a técnica de “repetição espaçada” para aprender lentamente quase tudo.

*Gabriel Costa, CMO da Singu

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.