Como evitar o conflito geracional no trabalho?

Como evitar o conflito geracional no trabalho?

Rodrigo Vianna*

30 de novembro de 2019 | 05h00

Rodrigo Vianna. FOTO: DIVULGAÇÃO

Com o aumento da expectativa de vida e de trabalho dos brasileiros, o termo conflito geracional ganhou destaque nos últimos anos, e vem sendo cada vez mais utilizado pelas empresas e gestores de RH. Atualmente vemos profissionais de pelo menos quatro gerações distintas convivendo no mesmo ambiente de trabalho, o que algumas vezes pode causar atritos ou evidenciar modelos diferentes de pensamento. Essa diversidade na maneira de pensar costuma ser bastante proveitosa para as empresas, mas quando isso se transforma em competição interna ou conflito, o resultado nem sempre é bom.

Em uma pesquisa realizada pela Mappit com mais de 1.600 profissionais de diferentes gerações e níveis hierárquicos, notou-se que a maioria não apresenta dificuldade de convivência com outras gerações dentro do trabalho. No entanto, 11% ainda afirmaram ser complicada essa relação e apontaram alguns motivos.

Geração Z

Os 46% que responderam ter dificuldades de convivência com a geração Z, formada por jovens talentos em início de carreira (nascidos a partir de 1991), apontaram como principais desafios deste convívio a necessidade da geração Z ascender rapidamente mesmo sem preparo, o desapego aos empregos, o pouco tempo de permanência em seus cargos e a dificuldade de relacionamento interpessoal.

Geração X

Já os que alegaram entrar em conflito com a geração X (nascidos entre 1965 a 1978), citam como os maiores empecilhos dessa convivência a dificuldade de adaptação às mudanças práticas do mundo moderno, as visões moralistas e engessadas relacionadas a questões de diversidade e o fato de serem e valorizarem profissionais workaholics.

Baby Boomers

Com os Baby Boomers, a geração mais antiga no mercado de trabalho atualmente (nascidos entre 1946 e 1964), as dificuldades apontadas são parecidas com as da geração X. Os participantes da pesquisa indicam a pouca adaptabilidade e a dificuldade com ferramentas tecnológicas e processos mais ágeis como os desafios a serem superados neste convívio.

Como conviver em harmonia?

Tanto para as gerações mais sêniores quanto para as mais jovens, é fundamental manter a mente aberta para a diversidade de perfis e, também, para aprender e reaprender. O mundo corporativo está se transformando rapidamente e as habilidades exigidas são diferentes das que eram mais valorizadas há 10 anos. A capacidade de adaptação é importante em todas as gerações que compõem o universo corporativo e não é à toa que vem sendo uma das mais buscadas pelos recrutadores. Somada à empatia, a capacidade de adaptação é a chave para ajudar neste convívio harmônico e aproveitar a experiência e a maneira de conduzir o trabalho de cada geração.

*Rodrigo Vianna, CEO da Mappit, empresa do Talenses Group especializada em recrutamento para vagas em início de carreira

Tudo o que sabemos sobre:

Artigocarreiras

Tendências: