Como conquistar e influenciar pessoas no ‘novo normal’?

Como conquistar e influenciar pessoas no ‘novo normal’?

Matheus Jacob*

16 de agosto de 2020 | 04h00

Matheus Jacob. FOTO: DIVULGAÇÃO

Já passamos da marca histórica de mais de 100 dias de isolamento. Em diversas regiões, mercados e empresas ainda não existem previsões certas de quando retomaremos as atividades presenciais. E mesmo nos cenários mais otimistas, algo é certo: a maior parte da transformação digital conquistada nos últimos meses permanecerá.

Como podemos conquistar e influenciar pessoas neste cenário? Como podemos conquistar e conectar com nossos clientes, mantermos vivas nossas redes de relacionamentos pessoais e profissionais ou até mesmo liderar pessoas e equipes inteiras neste momento? O essencial é nos lembrarmos da premissa fundamental da persuasão: trate pessoas como pessoas, não importa o meio, a mídia ou o estilo. O logos, pathos e ethos da retórica permanecem vivos. Como fazer isso de forma prática? Veja abaixo as quatro peças chave desse quebra-cabeça:

1. Assertividade é tudo. Em tempos de stories de 15 segundos e tweets de 140 caracteres, assertividade torna-se a habilidade fundamental de convencimento. A parte lógica da nossa narrativa (ou o logos, como chamou Aristóteles na Retórica), precisa ser impecável, direta e extremamente precisa. E, acredite, assertividade convence. Nada transmite tanta confiança quanto essa habilidade.

2. Carisma também é essencial. Assertividade é tudo? É e não é. Porque, sem o carisma, ela pode parecer seca. Desinteressada ou desinteressante. Fria ou até mesmo agressiva. Por isso, o carisma também é essencial. Enquanto a assertividade convence, o carisma conquista. É o pathos de Aristóteles. Como ser mais carismático? Coloque energia, entusiasmo, dinamismo e paixão na sua comunicação. Os grandes líderes, oradores e mestres da persuasão possuem isso.

3. Você é aquilo que é capaz de expressar. Isso vale para qualquer contexto. Vale para o mundo digital, para uma sala de aula, para uma carta de amor ou um gesto de confiança e parceria. De nada vale todo o nosso conhecimento (exceto para nós mesmos) quando somos professores que não conseguimos transmitir isso. De nada vale toda a nossa estratégia enquanto empresários se não conseguimos colocar isso para nossos colaboradores e liderados. De nada vale o produto de qualidade se não sabemos explicá-lo. Ou seja, comunique. Uma postura de excelência é o ethos da persuasão.

4. Trate pessoas como pessoas. Atrás de uma câmera há sempre alguém. Atrás de um áudio há alguém ouvindo. Alguém irá ler seu texto. E, o mais importante, pessoas são únicas. Saiba o que motiva, o estilo de comunicação, os receios de cada um ao seu redor (mesmo que no mundo digital), neste momento. Entregue para cada um exatamente o que ele ou ela precisa.

Assim, conseguimos transitar entre o mundo real e o mundo virtual. Afinal, o virtual é sempre real também. Há pessoas em todos os lados. Os elementos da conquista, da persuasão, do carisma e da assertividade continuam sendo os mesmos. Só precisamos aprender a utilizá-los de novas formas. O “novo normal” exige novas ferramentas. Mas as pessoas ainda são as mesmas.

*Matheus Jacob, especialista em comunicação

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: