Como aproximar o eleitor dos candidatos a vereador

Como aproximar o eleitor dos candidatos a vereador

André Szajman*

27 de outubro de 2020 | 05h00

André Szajman. FOTO: DIVULGAÇÃO

O Brasil vai eleger no próximo dia 15 de novembro vereadores em 5.569 municípios de todo o país. A maioria dos representantes eleitos nas câmaras municipais vai ocupar o cargo sem que se conheça claramente a proposta de cada um. O escasso tempo na propaganda eleitoral na TV, que prioriza o candidato a prefeito, e a falta de recursos para a companha dificultam uma discussão mais ampla de ideias entre o eleitor e o vereador de sua escolha.

Foi essa uma das razões que levou um grupo de pessoas, de vários segmentos da sociedade, a buscar alternativas que permitam um debate aprofundado de propostas e que possibilitem uma decisão mais segura por parte dos eleitores na escolha dos representantes do Legislativo cujas propostas combinem com suas expectativas. Trata-se de uma iniciativa plural, suprapartidária e independente, já testada com sucesso em 2018, nas eleições para deputados estaduais, federais e senadores, a plataforma Tem meu Voto.

O Tem meu Voto não tem a pretensão de atingir a imensa massa de eleitores e vereadores candidatos do Brasil. Em 2018, a plataforma teve 34 milhões de acessos e 1,5 milhão de escolhas por afinidade (matches). Neste ano, é possível dobrar esses números. Se uma parcela expressiva participar da iniciativa, por meio do site https://www.temmeuvoto.org., terá valido a pena.

A iniciativa é também uma forma criativa de a sociedade contribuir com soluções que busquem fortalecer a democracia. A plataforma foi criada a partir da união de vários movimentos e organizações da sociedade civil, bem como do esforço individual e voluntário de centenas de profissionais. A ideia é aproximar rapidamente eleitor e candidato e estimular, após o pleito, o acompanhamento do mandado do vereador da preferência do eleitor.

O processo é simples. O eleitor responde a algumas perguntas na plataforma, entre elas o município e Estado de votação, prioridades para a sua cidade e posicionamento ideológico. Ao concluir, recebe uma lista com os vereadores do seu município que se aproximam de suas ideias. Um clique em cada perfil apresentado mostrará mais informações sobre o candidato ou candidata: partido, minibiografia, sites oficiais, prioridades, posição ideológica. O eleitor poderá refinar a escolha e definir o sexo e a raça do candidato, de acordo com os critérios e registros oficiais do TSE. Ao final, poderá marcar seus favoritos e gerar uma espécie de “colinha eletrônica” com os seus candidatos escolhidos.

Terminadas as eleições, o Tem Meu Voto vai além. Estará disponível para a população o aplicativo para o eleitor acompanhar o mandato de seu candidato. Neste caso, o aplicativo faz o link entre cidadão e eleitos e permitirá diversas interações, entre elas as de opinar e ser informado sobre as votações na Câmara (para o político postar as votações que ele participa e permitir que o eleitor participe), notificação de problemas (para que o eleitor possa reportar problemas na cidade e pedir ajuda ao político para interceder pela solução), transparência (para que o político possa divulgar os gastos de verba pública em seu gabinete).

Os números variam, mas pesquisas já demonstraram que oito em cada dez eleitores não se lembram em quem votaram para o Congresso Nacional em 2014, por exemplo. Para vereador, o número pode ser igual ou um pouco menor. Mas a amnésia é parte integrante de nosso modelo democrático, da nossa relação com quem nos representa. Esquece-se que, na democracia, o voto é o instrumento da cidadania e da mudança. Votar com consciência e assumir a responsabilidade pela escolha dos representantes pode mudar a realidade mais próxima do cidadão.

Por isso, o Tem Meu Voto tem o objetivo de colaborar para o exercício pleno da cidadania, partindo da escolha até chegar ao acompanhamento do político eleito. Dois degraus de uma democracia ainda nova e que precisa ser, cada vez mais, aprimorada.

*André Szajman é empresário e coordenador do projeto Tem Meu Voto

Tudo o que sabemos sobre:

ArtigoEleições 2020

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.