Como a tecnologia está auxiliando na retomada da maior crise do século

Como a tecnologia está auxiliando na retomada da maior crise do século

André Barretto*

16 de janeiro de 2021 | 04h00

André Barretto. FOTO: DIVULGAÇÃO

No ano de 2020, vivemos a maior crise socioeconômica do século XXI, consequentemente vimos um aumento do desemprego, o encerramento de diversas empresas e a sobrecarga do sistema de saúde de tantos países. Embora seja um dos mais desafiadores da nossa era, este ano nos ensinou muito, acelerou a transformação digital e permitiu o desenvolvimento de tecnologias que usaremos cotidianamente a partir de 2021, seja no setor de varejo, saúde, educação, econômico entre outros tantos, e passaremos a enxergar possibilidades nunca imaginadas e que facilitarão a vida de milhares de pessoas. E como será isso?

Trabalho remoto

O home office, adotado inicialmente no mês de março quase que obrigatoriamente por parte de muitas empresas, não foi possível para outras tantas, como o setor de calls centers, principalmente os que trabalham com informações sigilosas como bancárias, por exemplo. Muitos profissionais de atendimento perderam seus empregos, pois bancos começaram a suspender ou mesmo cancelar contratos, já que o serviço terceirizado não poderia ser realizado de casa, uma vez que tem todo um protocolo de segurança e que seria inviável as empresas do setor conseguirem garantir os procedimentos estabelecidos.

As empresas de call centers tinham a necessidade, por conta dos dados bancários, de monitorar toda a trajetória do funcionário, isolá-lo de outras pessoas no momento da sua jornada e remover, temporariamente, alguns equipamentos como celulares, materiais para anotações entre outros. Com a necessidade, houve uma corrida contra o tempo nos últimos meses para o desenvolvimento de tecnologias para retomar o setor.

Empresas têm desenvolvido soluções, com o uso de inteligência artificial e visão computacional para aprendizado da máquina, que consigam monitorar o funcionário pela câmera do seu próprio computador. Na prática, a máquina bloqueia a tela do profissional caso ela identifique um celular pronto para registrar uma fotografia, por exemplo, ou quando notasse um caneta na mão da pessoa – com o intuito de anotar uma informação confidencial.

Além disso, com o aumento da ansiedade no período de trabalho remoto, a mesma tecnologia está sendo aprimorada para monitorar os batimentos cardíacos, respiração, estresse e saturação de oxigênio, com o intuito de poder no próximo ano prevenir casos de burnout, estresse e síndrome do pânico, doenças ligadas a saúde mental.

Meio de pagamento através da face

Ao lado da Argentina, o Brasil é o país da América Latina que mais faz uso de cartão de crédito na hora de comprar produtos de consumo massivo. De acordo com levantamento da Kantar, realizado em 2019, 65% das famílias brasileiras utilizam esse meio de pagamento. Mas já imaginou realizar pagamentos sem a necessidade de cartões físicos?

Soluções com o uso de câmeras (CFTV), posicionadas próximas aos balcões de bares e caixas, tablets e dados nas nuvens estão sendo utilizados para a realização de compras, tudo através do reconhecimento facial. A pessoa é identificada através das imagens e o pagamento é registrado direto no cartão de crédito cadastrado no sistema de dados.

O fato é que não se pode negar que 2020 foi um ano de aprendizado – e ele ainda não acabou. A transformação digital, prevista para um período de três anos, foi acelerada em meses. A tecnologia que já fazia, de algum modo, parte do dia a dia das pessoas se tornou essencial, e as necessidades ao longo da história da humanidade trouxeram grandes transformações para a sociedade. O digital não é mais uma opção. No ano de 2021 teremos grandes novidades no mercado.

*André Barretto, CEO e fundador da UNIKE Technologies

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.