Como a avaliação 180 graus pode ajudar na gestão estratégica de pessoas?

Como a avaliação 180 graus pode ajudar na gestão estratégica de pessoas?

Marcelo Furtado*

11 de outubro de 2020 | 04h30

Marcelo Furtado. FOTO: DAYANE FIGUEIREDO

A gestão de pessoas está cada vez mais envolvente e inteligente. Técnicas como a avaliação 180 graus ajudam os gestores a se destacarem e a conseguirem bons resultados.

O acompanhamento do desempenho é fundamental para criar meios que potencializem a performance dos colaboradores. Para fazer isso, conhecerá uma importante ferramenta do gestor de pessoas.

Aprenda o que é a avaliação 180 graus, como implementá-la e os principais benefícios que essa ferramenta pode trazer para uma boa gestão de pessoas . Não deixe de ler até o final!

O que é a avaliação 180 graus?

A avaliação 180 graus é uma análise profissional sobre a performance dos colaboradores. Nesse tipo de recurso, o objetivo é obter uma visão tanto de supervisores como de subordinados em determinado espaço de tempo.

Todo o processo se restringirá a esses dois atores, promovendo debates, troca de ideias e feedbacks sobre o desempenho de cada um. Dessa forma, tanto avaliador como avaliado terão a oportunidade de estreitar a interação, buscando evoluir.

É importante entender que esse tipo de ferramenta faz parte da avaliação de desempenho, mas diferencia-se de outros modelos, como a avaliação 90 graus e a avaliação 360 graus.

O método 90 graus também é conhecido como avaliação direta, tendo o objetivo de analisar somente de cima para baixo na hierarquia. Ou seja, apenas a chefia retornará a pesquisa e os resultados.

Por outro lado, a avaliação 360 graus é a mais completa de todas, abrangendo praticamente todos os colaboradores e hierarquias. É possível até envolver clientes e fornecedores nessa estratégia, permitindo uma visão mais ampla sobre o feedback.

Para que serve a avaliação 180 graus e como funciona?

A ideia é avaliar o desempenho e o comportamento da equipe para buscar melhorias e práticas de evolução, tanto individualmente quanto coletivamente.

O gestor analisa o desempenho e o comportamento do funcionário, que também tem a possibilidade de fazer uma autoavaliação por meio de metas estabelecidas em um determinado período de tempo.

A partir daí, há uma análise de resultados em busca de melhorias para a evolução profissional e empresarial. Outra maneira de fazer isso é por meio de um questionário de desempenho para avaliação.

Entre os principais pontos de análise dos números finais, destacamos: qualidade, produtividade, pontualidade, relacionamento com a equipe, cooperação e flexibilidade.

Os gestores que implementaram a avaliação 180 graus observaram benefícios para a empresa. Veja o que essa ferramenta, de uma forma geral, pode trazer:

• análise de dados para promoções ou sucessões;

• melhora do processo comunicativo;

• favorecimento da troca de ideias;

• aumento da motivação e da produtividade;

• identificação de potencial de talentos;

• oportunidade para mensurar novas metas;

• identificação de problemas de produtividade.

Como aplicar a avaliação 180 graus?

A avaliação 180 graus pode ser realizada pelo preenchimento de formulário de pré-avaliação, permitindo a autoanálise por parte do colaborador ou o preenchimento por parte do avaliador. Como vimos, também há um convite posterior para debater os resultados. O setor de RH ainda pode aplicar a avaliação envolvendo toda a empresa. Veja agora algumas ações para uma boa implementação.

1. Prepare os envolvidos

Ofereça suporte e orientação tanto para superiores como para subordinados. Isso envolve disponibilizar e instruir sobre o correto preenchimento dos formulários e treinar situações de avaliação.

2. Tenha cuidado com o andamento do processo

Alerte e oriente sobre práticas boas e ruins. O respeito e o bom senso devem ser priorizados, evitando feedbacks ou julgamentos fora do contexto analisado. É preciso ter foco nos resultados pretendidos e nas melhorias desejadas. Trate educadamente situações negativas e incentive bons desempenhos.

3. Forneça feedbacks

Registre todas as informações para dar um posterior feedback aos envolvidos e promova discussões sobre erros e acertos. Guarde as informações para analisar a evolução em relação a avaliações futuras.

4. Aplique as ações

Após a análise e o debate sobre tudo que aconteceu, você deverá iniciar um processo de correção e melhoria, estabelecendo novas e melhores práticas adaptadas ao potencial da equipe até uma nova avaliação.

5. Use recursos digitais

Aproveite a oportunidade e visualize estratégias que possam nortear o crescimento da empresa. Direcione o desenvolvimento e use plataformas digitais de apoio para otimizar a gestão de pessoas.

Como usar a avaliação 180 graus no diagnóstico do clima organizacional?

Esse tipo de avaliação é utilizada também para identificar o ambiente de trabalho e localizar pontos de desmotivação e improdutividade. O clima organizacional é importante, pois revela a atmosfera corporativa e expõe fragilidades psicológicas que prejudicam o bom desempenho.

Verifique o comportamento individual do colaborador durante os testes, identificando a predisposição para superar os desafios impostos. Observe a conexão com os colegas e capacidade de liderança nesses momentos.

Dessa forma, fica mais fácil entender como funciona a interação entre os funcionários a partir de novas metas estabelecidas. E também compreender como a fluidez de informações e rotinas acontece e de que maneira os funcionários trabalham os percalços e imprevistos.

Quando a empresa faz um diagnóstico de clima organizacional, identifica falhas produtivas e desmotivação. A partir de então, é preciso acompanhar os colaboradores que retornaram resultados tímidos e integrá-los mais intensamente aos processos e rotinas da empresa.

Quais efeitos a avaliação 180 graus pode gerar?

Além de todos os benefícios, a avaliação 180 graus pode ser um instrumento para promover o engajamento da equipe e ampliar o diálogo entre colaboradores e gestores.

O primeiro efeito é o estímulo ao trabalho e ao empenho nas questões da organização. É uma excelente forma de fazer com que o colaborador “vista a camisa da organização”, conduta tão desejada entre os gestores.

Outro efeito positivo é a criação de um ambiente aberto à comunicação. A facilidade da interação permite que a empresa melhore a troca de ideias e a conscientização de erros e acertos por meio do feedback falado e conversado. Nesse aspecto, há oportunidade de ser ouvido pela chefia, algo muito valorizado pelos colaboradores.

Acima de tudo, a avaliação 180 graus é uma ferramenta para proporcionar evolução. Assim, gestores e subordinados podem avaliar erros e acertos, além de buscar novas estratégias de aprimoramento que ajudem a empresa a crescer.

*Marcelo Furtado, CEO da Convenia

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: