Comandante da Lava Jato assume Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado da PF

Comandante da Lava Jato assume Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado da PF

Saiu no 'Diário Oficial' nomeação do delegado Igor Romário de Paula, um dos artífices da força-tarefa em Curitiba, para terceiro posto na hierarquia da corporação do governo Jair Bolsonaro

Ricardo Brandt / SÃO PAULO e Fábio Serapião / BRASÍLIA

17 de janeiro de 2019 | 12h22

Igor Romário de Paula. FOTO: CLEIA VIANA/AGÊNCIA CÂMARA

O delegado Igor Romário de Paula é o novo diretor de Investigação e Combate ao Crime Organizado (Dicor) da Polícia Federal. Comandante da equipe policial da força-tarefa da Operação Lava Jato, em Curitiba, sua nomeação ao posto de número 3 na hierarquia da corporação foi publicada na edição do Diário Oficial da União desta quinta-feira, 17.

A portaria de nomeação é assinada pelo ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

Igor, como é conhecido, é homem de confiança do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, e um dos principais nomes da “República de Curitiba” que o ex-juiz da Lava Jato montou no governo Jair Bolsonaro (PSL).

O ex-chefe da Lava Jato assume o posto do delegado Elzio Vicente da Silva.

Em Curitiba, Igor era delegado regional de Investigação e Combate ao Crime Organizado da Superintendência da PF no Paraná. Foi o coordenador das 57 fases da Lava Jato deflagradas até aqui e responsável pela integração entre a equipe que desarticulou o maior esquema de corrupção no governo federal, o escândalo Petrobrás.

Sob seu comando, a Lava Jato montou um modelo de combate à corrupção que tem sido referendado por Moro. O  ministro da Justiça quer ver replicado no País esse sistema de atuação em força-tarefa  (com integração da PF com a Receita Federal, o Coaf e o Ministério Público Federal). Tanto no combate aos crimes do colarinho-branco, como corrupção e lavagem de dinheiro, como contra facções.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.