Coisas que nós já sabíamos, mas que a pandemia ajudou a reforçar

Coisas que nós já sabíamos, mas que a pandemia ajudou a reforçar

Lucia Porto*

10 de setembro de 2020 | 07h00

Lucia Porto. FOTO: ARQUIVO PESSOAL

– Economize.

– O mundo, basicamente, são as pessoas.

– Quem tem equipe e parceiros, tem tudo.

– A expressão ‘gastar sola de sapatos’ pode ser usada no sentido figurado – externa e internamente. Use os aplicativos, seja visto, seja lembrado, prospecte. E sim, walk the talk (faça o que eu digo, faça o que eu faço, mas seja o exemplo; faça, não mande)

– Improvise.

– Arrisque.

– Aprenda.

– Se errou, assuma.

– Bote a cabeça pra fora.

– Confie.

– Delegue.

– Acredite.

– Resolva os problemas, não crie.

– Não dê trabalho para os clientes – mas saiba ocupar aqueles que gostam de ser ocupados.

– Quem quer agradar todo mundo não agrada ninguém.

– Teve uma ideia às 2 da manhã? Abra o olho e anote, rabisque: ela não será a mesma às 7.

Junte o que foi dito acima, nessa ordem ou não. Crie uma frase com cada uma das palavras soltas, troque de lugar. Reescreva. Apague e recomece. Sempre vai fazer sentido, o que importa é tentar.

E um lembrete, parafraseando um dos grandes ensinamentos de Joe Bastianich no livro “Restaurant Man, o homem por trás do negócio”: desligue a porra das luzes.

*Lucia Porto é empresária, sócia da @navecomunica

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: