Cocaína no gibi

Cocaína no gibi

Receita Federal e PF flagraram no Aeroporto Internacional de São Paulo, na madrugada desta quinta, 12, passageiro que iria embarcar para a Etiópia, levando quatro quilos da droga ocultos em oito álbuns infantis; entre janeiro e dezembro, as apreensões em Cumbica já somam quase 2.000 quilos de drogas, um recorde; no período, a PF prendeu mais de 300 por tráfico no maior aeroporto do País

Pepita Ortega

12 de dezembro de 2019 | 13h03

Apreensões de cocaína realizadas pela Receita Federal e a Polícia Federal no Aeroporto de Guarulhos. Foto: Polícia Federal

A Receita Federal e a Polícia Federal flagraram na madrugada desta quinta, 12, no Aeroporto Internacional de São Paulo (Guarulhos/Cumbica) um passageiro de 29 anos que pretendia embarcar para Addis Abeba, na Etiópia, levando na mala oito álbuns de figurinhas infantis cujas capas continham quatro quilos de cocaína.

Nascido em Serra da Leoa, o suspeito está no Brasil desde 2016 e é portador de visto permanente. Ele foi abordado depois que servidores da Receita, com o auxílio de cães farejadores, identificaram nos porões de bagagens, após a indicação dos animais, duas ‘malas suspeitas’ que seguiriam para Addis Abeba.

Acionados, policiais federais localizaram seus donos no portão de embarque e os conduziram à sede policial para acompanhar a realização de perícia. Os agentes encontraram a cocaína nos gibis.

Ao todo, entre a tarde da quarta-feira,11, e a madrugada desta quinta, 12, três passageiros foram presos tentando embarcar com quase 20 Kg de cocaína para a Europa e África.

Apreensões de cocaína realizadas pela Receita Federal e a Polícia Federal no Aeroporto de Guarulhos. Foto: Receita Federal

Além da cocaína na figurinha, servidores da Receita que atuam nos canais de inspeção selecionaram, na tarde de quarta, 11, um passageiro que havia perdido o voo com destino a Madri e submeteram sua bagagem ao aparelho de raio-x, quando perceberam três grandes volumes contendo ‘material suspeito’.

O homem, natural da Lituânia, de 36 anos de idade, não soube explicar o motivo que o fez perder o voo, apesar de ter feito todo o procedimento migratório com tempo suficiente para o embarque.

A PF foi acionada e os agentes conduziram o homem à delegacia para que o ‘material suspeito’ fosse periciado. Os peritos federais identificaram a substância contida em nove tabletes prensados, que compunham os ‘volumes suspeitos’, como cocaína, cujo peso somou nove quilos. O homem foi preso em flagrante.

Bart e Grace, os cachorros que auxiliaram nas apreensões de cocaína realizadas pela Receita Federal e a Polícia Federal no Aeroporto de Guarulhos. Foto: Receita Federal

Já na madrugada desta qujinta, 12, a Receita alertou a PF sobre existência de outra ‘mala suspeita’, pertencente a uma venezuelana, de 47 anos. A mulher pretendia desembarcar em Maputo, no Moçambique. Com ela, havia quase seis quilos de cocaína ocultos em dois cartuchos de toner.

Todos os presos serão conduzidos aos presídios estaduais onde permanecerão à disposição da Justiça.

Entre janeiro e esta quinta, 12, as apreensões de drogas já somam quase 2.000 quilos, um novo recorde no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos. A PF prendeu mais de 300 por tráfico no maior aeroporto do País nesse período.

Apreensões de cocaína realizadas pela Receita Federal e a Polícia Federal no Aeroporto de Guarulhos. Foto: Receita Federal

Apreensões de cocaína realizadas pela Receita Federal e a Polícia Federal no Aeroporto de Guarulhos. Foto: Receita Federal

Apreensões de cocaína realizadas pela Receita Federal e a Polícia Federal no Aeroporto de Guarulhos. Foto: Polícia Federal

Apreensões de cocaína realizadas pela Receita Federal e a Polícia Federal no Aeroporto de Guarulhos. Foto: Polícia Federal

Apreensões de cocaína realizadas pela Receita Federal e a Polícia Federal no Aeroporto de Guarulhos. Foto: Polícia Federal

Tudo o que sabemos sobre:

Receita Federal

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: