Cocaína no estômago

Cocaína no estômago

Polícia Federal prende dois passageiros no Aeroporto Internacional de São Paulo que, para tentar driblar a fiscalização, engoliram cápsulas da droga

Pepita Ortega e Pedro Prata

12 de setembro de 2019 | 13h43

A Polícia Federal prendeu, entre a tarde desta quarta, 11, e manhã desta quinta, 12, no Aeroporto Internacional de São Paulo (Guarulhos/Cumbica), cinco passageiros de voos internacionais com droga engolida, na forma de cápsulas, e também ocultas dentro de bagagens.

Passageiros haviam engolido cápsulas com o entorpecente. Foto: PF/Divulgação

Na segunda-feira, 9, dois homens, de 32 anos e 25, que foram inadmitidos ao tentarem desembarcar em Lisboa, tiveram que retornar ao Brasil. Eles confessaram aos policiais que levavam cápsulas, contendo cocaína, dentro do estômago e que temiam pelas suas vidas. Na tarde desta quarta, 11, foram conduzidos a um hospital público onde expeliram a droga e receberam voz de prisão.

Na madrugada desta quinta, 12, equipe da Receita Federal, em fiscalização de rotina junto ao porão de bagagens despachadas para voo com destino a Addis Ababa, na Etiópia, após a indicação do cão de faro, submeteu a mala de um nigeriano ao raio-x onde foi ‘verificada substância orgânica dentro de diversos objetos’.

Nigeriano levava 37 placas do entorpecente. Foto: PF/Divulgação

A PF foi acionada e, em sua delegacia, foram realizados os exames periciais constatando um total de mais de seis quilos de cocaína oculta dentro de 37 placas plásticas.

O nigeriano, de 30 anos e portador de Registro Nacional de Estrangeiro (RNE), recebeu voz de prisão por tráfico internacional de drogas.

Uma outra ocorrência junto aos canais de inspeção da Receita, na manhã desta quinta, 12, resultou na prisão de um casal de brasileiros residentes em Curitiba, portando quase dez quilos de metanfetamina dentro de fundos falsos de suas malas.

Exame pericial constatou que material era droga sintética. Foto: PF/Divulgação

Os servidores da Receita encontraram a substância com o auxílio do raio-x e acionaram a PF. Após exames periciais constatarem que se tratava de droga sintética, o casal – ele de 25 anos, ela de 29, procedentes de Zurique, na Suíça-, foi autuado.

Os presos serão conduzidos aos presídios estaduais onde permanecerão à disposição da Justiça.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.