Corregedor do Conselhão abre processo disciplinar contra procurador-geral de Justiça de Mato Grosso por chamar Bolsonaro de ‘insensível, desumano’

Corregedor do Conselhão abre processo disciplinar contra procurador-geral de Justiça de Mato Grosso por chamar Bolsonaro de ‘insensível, desumano’

Decisão acolhe reclamação de deputado do Podemos; Declaração do chefe do Ministério Público do Estado teria sido dada em cerimônia de recondução

Rayssa Motta e Fausto Macedo

02 de fevereiro de 2022 | 20h38

Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). FOTO: MARCOS OLIVEIRA/AG. SENADO

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) abriu nesta quarta-feira, 2, um procedimento administrativo disciplinar para apurar se o procurador-geral de Justiça de Mato Grosso, José Antonio Borges, cometeu desvio funcional ao criticar o presidente Jair Bolsonaro (PL).

Documento

A decisão é assinada pelo corregedor nacional do Ministério Público, Marcelo Weitzel, a partir de uma reclamação disciplinar movida pelo deputado federal José Medeiros (Podemos-MT).

Em sua cerimônia de posse, em fevereiro do ano passado, quando foi reconduzido ao cargo, Borges fez críticas ao presidente pela gestão da pandemia e pelos ataques antidemocráticos.

“Temos um presidente da República insensível, desumano, inconsequente, terraplanista, que desprezou a ciência e jogou a população contra os governadores e prefeitos e, por consequência, já temos 233.520 mortos”, disse o procurador-geral na ocasião.

Na avaliação da Corregedoria do CNMP, as declarações ofenderam a honra de Bolsonaro.

“Tal conduta deve ser considerada como procedimento reprovável e que importa em desrespeito a uma autoridade constituída, qual seja, o Presidente da República. Portanto, amolda-se com facilidade a infração disciplinar”, diz a portaria que abriu a investigação.

A decisão do corregedor do CNMP pela investigação contra o chefe do Ministério Público de Mato Grosso foi divulgada pelo jornalista Alexandre Aprá, do blog Isto É Notícia, e confirmada pelo Estadão.

COM A PALAVRA, O PROCURADOR-GERAL DE MATO GROSSO

“O procurador-geral José Antônio Borges Pereira afirma que está tranquilo e sereno no seu ofício e aguarda com serenidade a decisão do Conselho Nacional do Ministério Público”, informou o Ministério Público de Mato Grosso.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.