Chegada do PIX deve alavancar crediário das redes varejistas

Chegada do PIX deve alavancar crediário das redes varejistas

Jeison Schneider*

10 de setembro de 2020 | 06h24

Jeison Schneider. Foto: Divulgação

O cenário do sistema de pagamentos brasileiro deve mudar completamente de figura nos próximas semanas. Isso porque o Banco Central (BC) decidiu antecipar o lançamento do seu sistema de pagamentos instantâneos (PIX) para o dia 5 de outubro. O produto visa simplificar a realização de pagamentos e transferências entre consumidores e empresas em geral, como as redes varejistas.

Por exemplo, hoje, para que um pagamento seja efetuado – e o dinheiro saia da conta corrente do comprador e caia ao vendedor – são necessários diversos participantes, como a bandeira do cartão de crédito, a empresa da maquininha e os bancos. Porém, com o PIX o caminho será mais rápido, uma vez que as operações poderão ser feitas instantaneamente – em qualquer horário e dia da semana – sem a intermediação de terceiros. Além disso, não há necessidade de deslocamento, já que o consumidor irá realizar os pagamentos pelo próprio smartphone.

A novidade do BC deve beneficiar diretamente as redes varejistas que trabalham com crediário, uma vez que clientes que hoje utilizam apenas cartão de crédito para compras, certamente terão maior facilidade em aceitar o novo canal de vendas da loja, via crediário digital próprio. Capturar esta parcela de consumidores e, com isso, ter um relacionamento mais próximo, pode ser uma grande vitória para os lojistas.

É verdade que o PIX também tende a retirar o cliente de dentro da loja, afinal, o pagamento pode ser efetuado a distância. Contudo, as redes varejistas ainda terão enorme possibilidade de continuar fidelizando os consumidores, principalmente porque muitos deles ainda irão necessitar do crediário para fazer suas compras, já que nem todas as pessoas possuem um limite considerável no cartão de crédito.

Para atrair essa clientela, os lojistas devem investir mais do que nunca em ideias criativas, levando a loja para dentro das casas. Algumas ações promocionais, por meio de mensagem no celular, podem ser interessantes para chamar o público à loja como, por exemplo, a concessão de brinde na loja no ato do pagamento da parcela ou até mesmo cupons de desconto com validade de 30 dias. Também vale fazer campanhas de vendas exclusivas para clientes com baixo risco de inadimplência ou até mesmo campanha de parcelamento em 10x sem juros para consumidores cuja inadimplência atual seja inferior a 1%.

Em relação ao método de pagamento, uma estratégia eficaz é incentivar o pagamento por meio de QR Code somente na loja, como funciona com o crediário hoje. Se mesmo assim o cliente não quiser se deslocar, campanhas específicas precisam ser otimizadas para continuar atraindo-os como compradores.

O benefício do PIX também será muito efetivo para o controle da inadimplência. As redes varejistas terão muito mais tranquilidade para fazer a cobrança de eventuais atrasos, já que o consumidor terá a opção de realizar o pagamento de forma remota sem a necessidade de ir à loja. Com isso, expressões de clientes como “eu passo aí amanhã para acertar” tendem a diminuir de forma considerável.

Sem dúvida, o novo meio de pagamento do BC veio para modernizar o mercado e isso vai exigir que os lojistas apliquem novas estratégias para reter os clientes. Entretanto, trata-se de uma ferramenta com muitos pontos positivos ao varejo, mesmo para os lojistas que usam o crediário como seu carro-chefe no negócio.

*Jeison Schneider é sócio fundador e CEO do Meu Crediário. Possui mais de 15 anos de experiência profissional na liderança de softwares de gestão de risco para crediário no Brasil. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: