‘Chave Mestra’ investiga advogados e servidores da Justiça por vazamento de processos sigilosos no Tocantins

‘Chave Mestra’ investiga advogados e servidores da Justiça por vazamento de processos sigilosos no Tocantins

Polícia Civil cumpre um mandado de prisão temporária e 15 de busca de apreensão em Palmas para apurar esquema que usava senhas de servidores do Poder Judiciário para acesso de processo eletrônicos no Tribunal de Justiça

Igor Moraes

29 de janeiro de 2019 | 13h30

Polícia Civil de Tocantins deflagrou operação Chave Mestra. Foto: Dennis Tavares/ Governo do Tocantins

A Polícia Civil de Tocantins cumpre em Palmas nesta terça-feira, 29, um mandado de prisão temporária e 15 de busca e apreensão no âmbito da Operação Chave Mestra, que mira um suposto esquema de vazamentos de processos judiciais sigilosos.

As informações, segundo a Polícia Civil, eram obtidas a partir de senhas dos servidores forenses com o objetivo de atrapalhar investigações policiais e ações penais.

Advogados e funcionários do Judiciário teriam participação no esquema que viabilizava o acesso indevido a processos no sistema E-proc, mantido pelo Tribunal de Justiça do Tocantins.

O operação teve a participação conjunta de agentes das unidades especializadas na Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC), de Maior Potencial Contra a Administração Pública (DRACMA), Contra a Ordem Tributária (DOT), Repressão a Narcóticos (DENARC), Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Capital, e de Repressão a Roubos (DRR), de Araguaína, as Delegacias Estadual de Investigações Criminais (DEIC) e 1.ª Circunscricional de Palmas, e o Instituto de Criminalística do Tocantins (Seção de Informática Forense).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.