Cassada, Dilma poderá exercer função pública

Cassada, Dilma poderá exercer função pública

Por 42 votos a 36 e 3 abstenções, o Senado não decretou sua inabilitação

Redação

31 de agosto de 2016 | 14h16

F61U6235.JPG BRASILIA BSB DF 29/08/2016 POLITICA / NACIONAL IMPEACHMENT/SENADO/JULGAMENTO - POLÍTICA A presidente afastada Dilma Rousseff faz sua defesa no plenário do Senado durante julgamento de seu processe de Impeachment no Senado Federal, em Brasília . Foto: DIDA SAMPAIO /ESTADAO

Foto: DIDA SAMPAIO /ESTADAO

A presidente cassada Dilma Rousseff poderá exercer função pública. Por 42 votos a 36 e 3 abstenções, o Senado não decretou sua inabilitação. Eram necessários dois terços dos senadores, ou 54 votos, para aprovar a inabilitação.

Antes de autorizar a petista a continuar na vida pública, o Senado decidiu condená-la por crime de responsabilidade. Dilma perdeu o cargo de presidente da República por 61 votos a 20.

O que se discute agora no ambiente político é se o precedente sobre a perda da função pública poderá ser aplicado ao ex-presidente da Câmara, deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que no dia 12 de setembro será julgado por seus pares.

 

Tudo o que sabemos sobre:

ImpeachmentDilma Rousseff

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.