Casal que espancou e acusou jovem de tentar roubar o próprio carro é denunciado por tentativa de homicídio

Casal que espancou e acusou jovem de tentar roubar o próprio carro é denunciado por tentativa de homicídio

Ministério Público do Maranhão concluiu que ataque teve motivação racista; caso aconteceu Açailândia, município a 567 quilômetros da capital São Luís

Rayssa Motta

26 de janeiro de 2022 | 19h51

Gabriel foi agredido em frente ao prédio onde morava, na região central de Açailândia (MA). Foto: Reprodução

O Ministério Público do Maranhão denunciou à Justiça o casal que agrediu o jovem Gabriel da Silva Nascimento, de 23 anos, dentro do próprio carro ao confundi-lo com um ladrão. O caso aconteceu em Açailândia, município maranhense a 567 quilômetros da capital São Luís, em dezembro.

Documento

O empresário Jhonnatan Silva Barbosa e a dentista Ana Paula Vidal foram denunciados nesta quarta-feira, 26, por tentativa de homicídio triplamente qualificado, cuja pena vai de seis a vinte anos de reclusão. O MP apontou como agravantes a motivação racista, com emprego de asfixia e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima. O caso deve ir a júri popular.

A promotora Fabiana Santalucia Fernandes, da Comarca de Açailândia, concluiu que os dois presumiram, ‘em razão sua raça e cor da pele’, que Gabriel estaria tentando furtar itens de valor do próprio carro.

“Resta clara a presença de indícios suficientes de autoria e de materialidade do crime de tentativa de homicídio triplamente qualificado, sobretudo diante dos depoimentos colhidos e demais provas documentais produzidas”, diz um trecho da acusação.

A denúncia foi enviada à Justiça apenas um dia após a Polícia Civil do Estado concluir o inquérito e sugerir o indiciamento do casal. Em depoimento, a dentista negou a autoria do crime e pediu para registrar que não tentou asfixiar Gabriel. O empresário não compareceu à delegacia para ser ouvido.

Recepcionista de um banco, o jovem estava no carro que comprado há poucos meses e se preparava para sair rumo a uma confraternização do trabalho quando foi atacado.

Imagens de câmeras de segurança (assista abaixo) mostram o momento em que ele é chamado de ladrão e passa a ser agredido. Gabriel é derrubado, alvo de chutes, pisões e tapas em uma sessão de espancamento que dura quase três minutos. Ana Paula chega a colocar os joelhos na barriga do jovem, enquanto Jhonnatan pisa em seu pescoço. Os ataques só cessam quando um vizinho avisa que a vítima é moradora do prédio em frente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.