Casal de marqueteiros do PT é indiciado pela Polícia Federal

Casal de marqueteiros do PT é indiciado pela Polícia Federal

João Santana e a mulher, Mônica Moura, respondem por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa que desviou recursos da Petrobrás; força-tarefa da Lava Jato denunciará os dois ao juiz Sérgio Moro na próxima semana

Ricardo Brandt, Julia Affonso, Mateus Coutinho e Fausto Macedo

23 de março de 2016 | 13h17

O marqueteiro João Santana e Mônica Moura em Curitiba. FOTO: REUTERS/Rodolfo Buhrer

O marqueteiro João Santana e Mônica Moura em Curitiba. FOTO: REUTERS/Rodolfo Buhrer

A Polícia Federal indiciou criminalmente o casal de marqueteiro do PT, João Santana e Mônica Moura, por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e participação na organização criminosa que desviada recursos da Petrobrás. Os dois serão denunciados na próxima semana pela força-tarefa da Operação Lava Jato ao juiz federal Sérgio Moro.

Os dois são acusados pelo recebimento de US$ 7,5 milhões, entre 2012 e 2014, do esquema de corrupção descoberto pela Lava Jato na Petrobrás. O dinheiro foi depositado em conta secreta que Santana e a mulher mantinha na Suíça, em nome da offshore Shellbill Finance. Os dois estão presos em Curitiba, desde o dia 23 de fevereiro, alvos da Operação Acarajé – 23ª fase da Lava Jato. Com o casal, foram denunciados ainda outros seis investigados.

Os valores foram pagos pela empreiteira Odebrecht – ontem o presidente afastado do grupo Marcelo Bahia Odebrecht anunciou a intenção de fazer delação premiada – e pelo operador de propinas Zwi Skornicki.

INDICIAMENTO SANTANA

INDICIAMENTO SANTANA 2

INDICIAMENTO MONICA MOURA

VEJA OS INDICIADOS PELA PF NA OPERAÇÃO ACARAJÉS

João Cerqueira de Santana Filho (marqueteiro do PT) – lavagem de dinheiro, corrupção passiva e organização criminosa
Mônica Moura (marqueteiro do PT) – lavagem de dinheiro, corrupção passiva e organização criminosa
Zwi Skornicki (operador) – corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa
Bruno Skornicki (operador) – lavagem de dinheiro
Eloisa Skornicki (operad0r) – corrupção ativa e manutenção de conta não declarada
Pedro Barusco (Petrobrás) – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Renato Duque (Petrobrás) – corrupção passiva
Armando Ramos Tripodi (Petrobrás) – corrupção passiva

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava Jato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: