Capitão Assumção exibe nas redes foto da filha empunhando pistola automática

Capitão Assumção exibe nas redes foto da filha empunhando pistola automática

Deputado estadual pelo PSL do Espírito Santo afirmou que na próxima postagem criança vai aparecer ‘desmontando uma Glock’

Levy Teles, especial para o Estado

06 de novembro de 2019 | 07h10

O deputado estadual Capitão Assumção (PSL), do Espírito Santo, exibe em sua conta no Instagram foto de sua filha empunhando uma pistola automática. A publicação diz ‘Ensinando às nossas filhas o empoderamento! Nunca será feminazi!’

Foto: Instagram/@capitaoassumção/Reprodução

A imagem da criança empunhando a arma provocou forte reação no Espírito Santo. Advogados pretendem levar o caso ao Ministério Público.

Não é a primeira vez que Assumção chama a atenção por comentários polêmicos. Em setembro, ele ofereceu R$ 10 mil para quem matasse o acusado por um assassinato no interior do Espírito Santo. Não abalado com a repercussão de seu comentário, disse ao Estadão, na época, que ‘se arrependia de não ter mais para oferecer’.

Ele disse ao Estadão que recebe muitas denúncias e que está preparando uma resposta àqueles que denunciaram a foto de sua filha. “Muito em breve, vou comprar uma Glock e vou gravar um vídeo com ela desmontando a arma.”

Para o deputado, não há problema em uma criança exibir e manusear uma pistola. “O veículo talvez seja mais perigoso que uma arma.”

Capitão Assumção (PSL) durante discurso no plenário. Foto: Ales/Reprodução

Sindicato se opõe ao político

O presidente do Sindicato de Advogados do Espírito Santo (Sindiadvogados), Luiz Telvio Valim, emitiu nota de repúdio e disse que representará contra o deputado junto ao Ministério Público Estadual e tomar todas as medidas necessárias para que haja punição.

Para Valim, a publicação fere o Estatuto da Criança e do Adolescente.

“Além do mais, ‘empoderamento feminino’ não se dá por meio de armas e sim através da educação e do conhecimento, não estimulando a violência”, argumenta o advogado.

Foto: Sindiadvogados/Reprodução

Valim diz que ‘o deputado está equivocado em seus conceitos, ele utiliza da criança através de questões ideológicas, sem entender que a criança precisa ser protegida, pois é vulnerável’.

“A atitude é criminosa, antiética e imoral”, afirma Valim. “Não devemos esperar atitudes como essa de um representante do poder público e menos ainda de um pai.”

Capitão Assumção não se abalou com a reação. “Eles podem fazer o que quiserem. Eu tenho meu Instagram e tenho liberdade de postar as coisas. Eles têm que olhar outras situações, não essa que eu coloco a minha filha numa postagem com uma arma. Não tem nada a ver, não tem nada. Como fala o dito popular: o choro é livre.”

Estatuto da Criança e do Adolescente

No artigo 247 do Estatuto da Criança e Adolescente, é classificado como infração ‘divulgar, total ou parcialmente, sem autorização devida, por qualquer meio de comunicação, nome, ato ou documento de procedimento policial, administrativo ou judicial relativo à criança ou adolescente a que se atribua ato infracional’.

O parágrafo 1.º diz que ‘incorre na mesma pena quem exibe, total ou parcialmente, fotografia de criança ou adolescente envolvido em ato infracional, ou qualquer ilustração que lhe diga respeito ou se refira a atos que lhe sejam atribuídos, de forma a permitir sua identificação, direta ou indiretamente’.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.