Canteiro digital: como a tecnologia está acelerando os processos da construção

Canteiro digital: como a tecnologia está acelerando os processos da construção

Jean Ferrari*

14 de abril de 2021 | 04h00

Jean Ferrari. FOTO: DIVULGAÇÃO

Processos digitalizados estão otimizando o dia a dia de diversas atividades econômicas e colaborando com a melhor experiência de compra dos consumidores. E no setor da construção isso também vem acontecendo de forma cada vez mais efetiva.

É cada vez mais comum o acesso e visitação a empreendimentos via ambiente remoto, e até mesmo assinatura de contratos online.

Porém, mais do que isso, hoje em dia é possível acompanhar e controlar todos os passos de uma obra através de aplicativos e inovações, capazes também de registrar dados, gerar informações e abastecer engenheiros e gestores em momentos de tomada de decisão. É desta forma que as tecnologias entram como parte estratégica para quem deseja somar qualidade e economia em projetos do ramo da construção.

Algumas dificuldades costumam fazer parte da rotina normal de quem atua da construção civil, são elas: administração das taxas de juros elevadas, inadimplência dos clientes, falta de capital de giro, excesso de burocracia, entre outros.

Atendendo muitos desses desafios de quem atua no setor, podemos dizer que, por meio da tecnologia é possível centralizar documentações em um único lugar, administrar os profissionais envolvidos na obra, gerir a documentação desses profissionais, calcular e controlar insumos, determinar prazos e alterações, além claro, de apresentar todas essas questões de forma prática em eventuais reuniões e apresentações de prestações de contas.

E se a tecnologia auxilia toda a jornada do desenvolvimento da obra, é ela que também arquiva cada detalhe, viabilizando a construção de um documento importantíssimo para quem precisa disponibilizar o “Manual do Proprietário” – conteúdo que é fornecido aos clientes no pós-vendas, agora também na sua versão digital.

Com essa forma digitalizada de trabalhar, o Manual do Proprietário no formato digital se apresenta ainda mais completo e assertivo, já que todo o andamento da obra foi registrado desde o começo, a passo a passo, em um ambiente virtual.

A facilidade de ter o documento online traz uma riqueza de dados nunca vista por este mercado antes. Concentrando informações que podem ser relevantes para assistência técnica, ocorrências e mudanças em projetos, além, de economia de tempo e trabalho, uma vez que o conteúdo é construído lado a lado com a obra.

Controle financeiro

Mas, não falamos apenas de simplicidade e acesso facilitado quando tratamos de digitalização na construção. Nos dias atuais há outro assunto que abrilhanta os olhos de quem trabalha com construção civil: gestão de custos.

Seguindo nosso segundo ano em pandemia, a inevitável alta dos preços também chegou no mercado da construção e trouxe uma avalanche de números preocupantes, especialmente para construtoras.

De acordo com o Índice Nacional de Custo da Construção, em fevereiro de 2021 este mercado sofreu uma alta de 1,89%, maior recorde desde junho de 2016, 1,93%. Com isso, os gastos com mão de obra ficaram praticamente estáveis, com variação de 0,12%. Os materiais e equipamentos também passaram por uma alta de 4,38%, maior aumento desde novembro de 2002, que foi de 4,41%.

Neste quesito a tecnologia também pode ter um papel fundamental no direcionamento dos gastos, detalhando para os gestores todos os subsídios de uma obra, desde fornecedores até o uso de itens básicos no dia a dia.

Devido a pandemia a falta de produtos e alta de preços tem sido tema bastante em pauta nas noticias sobre o mercado da construção. Por esta razão, é extremamente importante que engenheiros e construtoras possam ter visão de onde estão empregando suas verbas e quais materiais estão impedindo que a rotina do dia a dia aconteça no fluxo esperado.

Tendência

Além da parte econômica e gerencial, ter a tecnologia a favor dos gestores de obra viabiliza outro assunto extremamente importante nos dias atuais: a transparência. Isso significa ter informações em mãos para tratar isso diretamente com os diversos públicos envolvidos na sua atuação, seja você um engenheiro com atuação individual ou uma grande construtora em ascensão.

A tecnologia contribui ainda com outra tendência importante para o mercado da construção, a sustentabilidade. E aqui entram pontos ligados ao uso consciente das matérias-primas, dos espaços e também da energia renovável. Todas essas questões pedem avaliação, estudo e acompanhamento dos gestores.

Como podemos ver a transformação digital no canteiro de obras já é uma realidade fundamentada que segue um fluxo cultural, ou seja, que avança cada dia mais conforme o entendimento das pessoas – clientes, fornecedores, construtores, etc.

Muitos já entenderam este recado, outros terão que se render a essa tendência, mas isso é só uma questão de tempo.

*Jean Ferrari, CEO da FastBuilt

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.