Câmaras de vereadores paulistas custaram RS 2,9 bilhões na pandemia, aponta relatório do Tribunal de Contas

Câmaras de vereadores paulistas custaram RS 2,9 bilhões na pandemia, aponta relatório do Tribunal de Contas

TCE-SP considerou gastos com custeio e pagamento de pessoal no exercício de 2020

Redação

24 de março de 2021 | 17h01

Um levantamento do Tribunal de Contas de São Paulo, que fiscaliza 644 municípios paulistas, exceto a capital, mostra que as Câmaras Municipais consumiram R$ 2.914.568.862,40 dos cofres públicos em 2020. O estudo considera gastos com custeio e pagamento de pessoal.

Ao todo, os municípios paulistas têm 6.921 vereadores, distribuídos em plenários que vão de nove a 33 parlamentares. Em um cenário de pandemia, com estado de calamidade pública decretado e crise fiscal generalizada, os valores dedicados ao Legislativo municipal chegam a uma média per capita de R$ 85,81 em cidades com população estimada em 33 mil habitantes.

Os dados foram atualizados nesta quarta-feira, 24, pelo Tribunal de Contas de São Paulo e estão disponíveis para consulta pública no painel ‘Mapa das Câmaras’. De acordo com o relatório, a cidade com maior gasto por vereador foi Campinas. Quando considerado o custo frente à população, a cidade líder é Borá. Veja abaixo os gráficos:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.