Câmara interpela Luciana Genro a explicar ‘traficantes’ no Congresso

Câmara interpela Luciana Genro a explicar ‘traficantes’ no Congresso

Procuradoria da Casa cobra ex-deputada (PSOL/RS) que teria insinuado que 'o Parlamento é povoado por indivíduos desprovidos de integridade'

Redação

04 de setembro de 2015 | 14h52

Por Mateus Coutinho

montagemfelicianoluciana

Marcos Feliciano (esq) e Luciana Genro (dir). Foto: Estadão

A ex-deputada gaúcha e ex-candidata do PSOL à Presidência da República, Luciana Genro foi interpelada extrajudicialmente pela Câmara dos Deputados a dar explicações sobre sua afirmação no Twitter insinuando que “grandes traficantes” estão no Congresso, durante o julgamento do Supremo Tribunal Federal que discutia a descriminalização do porte de drogas para consumo próprio.

“A acusação feita pela interpelada ocorre sem apresentação de quaisquer provas. Sobretudo, o material extrapola o bom senso crítico, pois induz ao raciocínio de que o Parlamento é povoado por indivíduos desprovidos de integridade”, afirma o documento assinado pelo procurador parlamentar da Câmara dos Deputados Renato Feltrin. A Câmara dá cinco dias para a parlamentar explicar o porquê fez as declarações e para ela apresentar por escrito as provas de suas afirmações.

Para Luciana, a iniciativa já era esperada e ocorre a pedido do presidente da Casa, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) que já se manifestou em plenário afirmando que tomaria providências sobre o episódio após o pedido feito a ele pelo deputado Marcos Feliciano (PSC-SP).

debatelucianafeliciano

“Não me intimida esse tipo de atitude, vou continuar dizendo as coisas que considero necessárias de serem ditas e tenho total tranquilidade de que o que eu disse está evidenciado no episódio do (senador Zezé Perrella), então não tenho nada a temer”, afirmou a deputada ao Estado, em referência ao caso do helicóptero da empresa da família Perrella apreendido com 445 kg de cocaína em uma operação da Polícia Federal em 2013. A parlamentar ainda disse que vai anexar uma matéria sobre o episódio da aeronave em sua resposta à interpelação.

Em sua fala no Twitter, no dia 19 de agosto, a deputada questionou a política de combate às drogas no Brasil e afirmou em seu Twitter oficial que “A guerra às drogas atinge os pequenos traficantes. Os grandes não estão nas favelas, mas estão, inclusive, no Congresso”. Na ocasião, o Supremo estava julgando a descriminalização do porte de drogas para consumo próprio e a deputada foi logo respondida por Marco Feliciano na rede social:

“@lucianagenro Esta acusação é gravíssima. Pode citar os nomes? Com provas irrefutáveis?”, questionou o deputado que foi logo respondido na rede social. “Acho que o @MarcoFeliciano esqueceu que um helicóptero da família do senador Zezé Perrela foi apreendido em 2013 com 450 kg de cocaína!”

A investigação da Polícia Federal envolvendo o helicóptero da empresa da família Perrella acabou revelando a existência de um esquema de tráfico internacional de drogas envolvendo grupos de empresários brasileiros que transportavam cocaína das Farc colombianas para cartéis mexicanos. O senador Zezé Perrella e seus familiares não são acusados.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.