Brasileiros aproveitam milhas para viajar na pandemia

Brasileiros aproveitam milhas para viajar na pandemia

Eduardo Pereira*

15 de dezembro de 2020 | 02h30

Eduardo Pereira. FOTO: ARQUIVO PESSOAL

O perfil de viagens a turismo mudou notoriamente durante a pandemia para os brasileiros, segundo um estudo feito pelo booking.com durante os meses de junho e agosto. Dentre vários motivos, destacam-se o “fechamento”das fronteiras e a redução da malha aérea em todo o mundo. Com isso o setor do turismo vem sendo diretamente afetado, como aponta outro estudo, dessa vez feito pela BRAZTOA (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo), aonde mostra que em relação a setembro de 2019 para o mesmo mês deste ano, 28% das empresas de turismo tiverem um faturamento 90% menor o que evidencia a crise e isso resultou em novos hábitos de por parte dos viajantes, como planejamento da viagem com mais antecedência, mais escolhas por destinos nacionais e mudança do foco para países internacionais, este último resultado dos números de casos nos possíveis países de destino, além da proibição de entrada por parte de muitos países ou exigência de uma quarentena mínima.

Isso está levando milhares de brasileiros a repensar suas viagens, tanto com relação aos destinos quanto ao investimento, haja vista o preço do dólar em relação ao real, que por muitas vezes inviabilizaria aquela tão planejada viagem.

A junção de todos esses fatores, está fazendo com que brasileiros busquem outras alternativas, como se especializar no assunto milhas aéreas, programa de fidelidade e cartões e crédito.

Assim, se consegue viajar mais e melhor, uma vez que as possibilidades das milhas aéreas são inúmeras e vão desde viagens em classe econômica, passando por executiva e primeira classe, até a venda de milhas e com isso poder custear parte ou a totalidade da viagem.

A grande questão é que existem, somente no Brasil, dezenas de programas de fidelidade e centenas de cartões de crédito o que por diversas vezes deixam o usuário confuso e sem saber como chancelar tantos benefícios de forma mais efetiva.

Dessa forma, percebi o quanto as pessoas vêm deixando de acumular pontos da maneira correta, pois não possuem expertise na execução de determinadas operações com milhas.

Para se ter uma ideia, no ano de 2019, o cidadão Brasileiro perdeu 43 – quarenta e três bilhões em milhas expiradas pela não utilização.

Não existe uma “fórmula mágica” para esse conhecimento ser aplicado, pois é como costumo dizer, cada um tem sua realidade, trabalham com bancos diferente, tem rendas e objetivos dos diversos patamares, logo uma estratégia bem definida para cada caso é fundamental para o sucesso nesse universo dos pontos.

*Eduardo Pereira, empresário e empreendedor digital

Referências

https://www.em.com.br/app/noticia/nacional/2020/10/14/interna_nacional,1194715/efeito-pandemia-brasileiros-planejando-mais-as-viagens-aponta-estudo.shtml

https://www.cnnbrasil.com.br/viagem/2020/09/24/com-pandemia-brasileiros-viajam-para-destinos-mais-proximos-diz-pesquisa

https://www.cnnbrasil.com.br/business/2020/09/22/brasileiro-perdeu-43-bi-de-milhas-vencidas-em-2019-veja-dicas-para-usar-pontos

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.