Brasileiro é extraditado da Bielorrússia por tráfico e exploração sexual de mulheres

Brasileiro é extraditado da Bielorrússia por tráfico e exploração sexual de mulheres

Catarinense estava detido desde outubro do ano passado em Minsk, capital do país europeu, após uma das vítimas denunciar os crimes ao consulado brasileiro

Redação

08 de fevereiro de 2021 | 05h00

Um brasileiro investigado por tráfico de pessoas e exploração sexual de mulheres foi extraditado nesta quinta, 4, da Bielorrússia para o Brasil. O homem é natural de Santa Catarina e estava preso desde outubro do ano passado em Minsk, capital do país europeu, a pedido da Justiça brasileira. A prisão preventiva foi decretada pela Justiça Federal de Porto Alegre. A Secretaria de Cooperação Internacional da Procuradoria-Geral da República acompanhou o caso.

No Brasil, o homem é alvo de inquérito da Polícia Federal aberto após uma das supostas vítimas procurar o consulado brasileiro na Bielorrússia para relatar que estava sendo submetida, desde janeiro do ano passado, a violência e cárcere privado para fins de prostituição.

Vítima procurou consulado brasileiro e relatou rotina de violência, tortura e abusos cometidos pelo investigado. Foto: Pixabay / ninocare

Às autoridades, a mulher relatou ter sofrido abusos sexuais e era obrigada a gravar vídeos pornográficos, que eram vendidos pela internet. Na residência do investigado, ela também era submetida a dieta rigorosa – ficando até quatro dias sem comer, além de ser submetidas a outros tipos de tortura. A vítima também relata que era forçada a cooptar outras mulheres para serem exploradas sexualmente.

Além da prisão e da extradição, a residência do pai do investigado foi alvo de buscas e apreensões. Celulares, computadores e drogas foram apreendidos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.