‘A decisão é um absurdo’, reclama Eduardo Cunha de sua prisão

‘A decisão é um absurdo’, reclama Eduardo Cunha de sua prisão

No Instituto Médico Legal de Curitiba, onde foi submetido a exame de corpo de delito sob escolta da PF, peemedebista disse 'bom dia' aos jornalistas e queixou-se do decreto do juiz Sérgio Moro que o mandou para a cadeia da Lava Jato

Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba

20 de outubro de 2016 | 10h43

Eduardo Cunha fez exames no IML, após ser preso na Lava Jato. Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters

Eduardo Cunha fez exames no IML, após ser preso na Lava Jato. Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters

Atualizada às 15h11

O ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) chegou ao Instituto Médico Legal de Curitiba por volta das 10h desta quinta-feira, 20, para exame de corpo de delito – o procedimento é padrão para todos os prisioneiros a fim de verificar seu estado de saúde.

Eduardo Cunha fez exames no IML, após ser preso na Lava Jato. Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters

Eduardo Cunha fez exames no IML, após ser preso na Lava Jato. Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters

O peemedebista foi preso pela Polícia Federal na tarde de quarta-feira, 19, por ordem do juiz federal Sérgio Moro. “A decisão é um absurdo”, disse o ex-deputado à saída do IML.

Eduardo Cunha entrou no IML escoltado por policiais federais e rapidamente soi submetido aos exames. Ele disse ‘bom dia’ aos jornalistas quando chegou no Instituto.

Mais conteúdo sobre:

operação Lava JatoEduardo Cunha