Bolsonaro fica em primeiro fácil em Atibaia e no Guarujá, onde a Lava Jato pegou Lula

Bolsonaro fica em primeiro fácil em Atibaia e no Guarujá, onde a Lava Jato pegou Lula

Candidato à Presidência pelo PSL acumulou 132 mil votos nas duas cidades paulistas que abrigam o sítio Santa Bárbara e o famoso triplex, pivô da condenação do ex-presidente a 12 anos e um mês de reclusão

Julia Affonso e Fausto Macedo

08 Outubro 2018 | 05h30

Sítio frequentado pelo ex-presidente Lula em Atibaia. Foto: Márcio Fernandes/Estadão

Duas cidades paulistas, Guarujá, no litoral, e Atibaia, no interior, onde a Operação Lava Jato pegou o ex-presidente Lula e o mandou para a cadeia, elegeram Jair Bolsonaro (PSL) com larga margem de vantagem sobre seus principais adversários no primeiro turno das eleições presidenciais. Nessas duas cidades, o capitão reformado do Exército acumulou 132 mil votos, deixando para trás os oponentes, sem maiores preocupações.

Em Atibaia, Bolsonaro recebeu 44,8 mil votos (59,69%). Ele bateu o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que teve 9 mil votos, ou 13%. Também ficaram muito atrás Ciro Gomes (PDT), com 6,9 mil votos, ou 9%, e o aliado de Lula, Fernando Haddad (PT), com 6,1 mil, ou 8%.

Condomínio Solaris, no Guarujá. Foto: NILTON FUKUDA/ESTADÃO

No Guarujá, o candidato do PSL liderou a corrida presidencial, com 87,8 mil votos (55,28%). Na cidade do litoral paulista, ele foi seguido de longe por Haddad, que teve 29 mil votos ou 18,4%, e por Ciro, com 15 mil, ou 9%.

Lula foi condenado a 12 anos e um mês de prisão no caso triplex do Guarujá por corrupção e lavagem de dinheiro. O juiz Sérgio Moro e o Tribunal Regional Federal da 4.ª Região o julgaram culpado por uma propina de R$ 2,2 milhões supostamente recebida da OAS em reformas no imóvel.

O ex-presidente ainda é alvo de outras duas denúncias da Lava Jato. Uma delas está ligada ao sítio Santa Bárbara, em Atibaia. Segundo o Ministério Público Federal, Lula pegou propina da Odebrecht e da OAS por meio de reformas da propriedade rural.

Bolsonaro e Haddad vão disputar o segundo turno das eleições presidenciais. O candidato do PSL é o mais votado em 16 Estados e no Distrito Federal. O capitão reformado do Exército só ficou atrás de Haddad nos oito Estados do Nordeste e no Pará. Ciro Gomes liderou a disputa no Ceará, seu berço político.

Bolsonaro e Haddad disputam a Presidência pela primeira vez e foram os dois mais votados entre os 13 postulantes ao Palácio do Planalto. O resultado do primeiro turno quebrou a polarização entre PT e PSDB na eleição presidencial. Nas últimas seis eleições, houve duas vitórias do PSDB (1994 e 1998) e quatro do PT (2002, 2006, 2010 e 2014).

O Nordeste que garantiu a vitória a Dilma Rousseff em 2014 também assegurou a realização de segundo turno em 2018.

Mais conteúdo sobre:

eleições 2018