Black Friday: dia de pagar barato ou uma sexta-feira qualquer?

Black Friday: dia de pagar barato ou uma sexta-feira qualquer?

Conrado Navarro*

17 de novembro de 2019 | 05h00

Conrado Navarro. Foto: Divulgação

Quem não quer pagar mais barato nos objetos de consumo que tanto deseja? Parece incrível aproveitar descontos anunciados de até 80%. Mas será que realmente os preços da Black Friday são verdadeiras pechinchas? O apelido “Black Fraude” é exagerado?

Sim, existem produtos com descontos reais, o que é bom, mas é importante entender que a Black Friday é uma data comercial, ou seja, uma sexta-feira qualquer impulsionada por muito marketing voltado para aquecer as vendas do varejo – com o objetivo de atrair todos os consumidores.

Essa data é marcada por trabalhar a escassez, dizendo para o consumidor que os preços incríveis durarão apenas um dia, e ainda colocar um conflito dentro das pessoas – medo de não fazer um bom negócio, e então, sem perceber elas “compram” essa ideia.

Se o que você vai comprar ou não faz sentido, é uma questão individual. Pense no seguinte: você está disposto a comprar porque o preço baixou? Certo! Mas ainda que você pague mais barato, será que esse gasto cabe no seu orçamento?

Comprar porque está barato é diferente de considerar suas condições financeiras e o momento: aquilo que você pretende comprar com desconto na Black Friday já faz parte de seu planejamento e você tem monitorado os preços e economizado para uma compra mais barata? Excelente! Aproveite o preço baixo e cumpra sua meta.

Algumas dicas para não cair em tentação (e nas armadilhas):

  • Pesquise preços – Infelizmente, a prática de subir os preços tempos antes da Black Friday para oferecer “desconto” no dia é comum. Você deve manter um histórico do preço ou usar uma ferramenta de comparação de preços para ter detalhes sobre isso;
  • Compre quando puder – O bom planejamento financeiro requer que você compre o que cabe no seu orçamento, quando tiver condições de fazê-lo. Se puder pagar mais barato, ótimo! Mas é mais importante se organizar para comprar, do que comprar porque está em promoção;
  • Desconfie de preços muito baixos na Internet – É muito importante ter em mente que além do preço ser atraente, o produto precisa de procedência e garantia. Compre de lojas sérias, em que pode consultar o CNPJ, endereço e histórico de outros consumidores;
  • Use e abuse das bases de dados de reputação e atendimento – Consulte os principais sites que compilam informações e reclamações sobre compras e avalie a empresa também por meio da experiência de outros usuários;

Exija sempre a nota fiscal – Ela é o documento que permite que você reclame seus direitos caso haja algum problema futuro.

É bom se lembrar também de que esse período do ano reúne muitas despesas e momentos recheados de emoção e impulsos de consumo (Natal, Ano Novo, Amigo Secreto etc.). Uma sugestão é criar uma lista com seus planos de compra e ao lado dela estabelecer um limite, um teto de gastos de acordo com sua capacidade financeira.

Se o desconto é real ou não, você consegue descobrir com facilidade; se comprar ou não neste momento faz sentido, você precisa refletir mais e melhor. Lembre-se que deve também ter sempre um objetivo de juntar dinheiro, para ter condições de aproveitar promoções quando elas surgem.

*Conrado Navarro, Especialista em Finanças Pessoais e Sócio da Diin que agora é a Grão

Tendências: