Black Friday 2021: as apostas do varejo para fidelizar consumidores

Black Friday 2021: as apostas do varejo para fidelizar consumidores

Guilherme Vieira*

10 de outubro de 2021 | 04h30

Guilherme Vieira. FOTO: DIVULGAÇÃO

Varejistas e consumidores aguardam ansiosamente a chegada do dia 26/11. Nesta data, acontece a Black Friday e, este ano, o número de brasileiros que se prepara para aproveitar as promoções aumentou 29% em relação à edição passada, segundo levantamento recente do Facebook que ouviu 400 pessoas.

Muito além das ofertas atrativas, os consumidores estão cada vez mais atentos a alguns quesitos na hora de fazer suas novas aquisições, especialmente, nas compras online. Frete grátis e tempo de entrega são algumas das principais exigências do público. E isso tem feito com que os lojistas se mexam para atender as expectativas dos clientes. Com isso, na Black Friday 2021, todos os grandes varejistas estão apostando em entregas super rápidas e, muitos deles, já baniram a cobrança do frete ou trouxeram possibilidades para atender a urgência dos consumidores.

A Magazine Luiza aposta em prazos super curtos, com entregas até para o mesmo dia da compra. Americanas S.A (Americanas.com, Submarino e Shoptime), que também investem em prazos reduzidos, possibilitam que os consumidores retirem na loja física as promoções adquiridas diretamente em suas plataformas online. Na Via Varejo (Casas Bahia, Ponto e Extra), a proposta de frete grátis vale para regiões específicas do país, inclusive para produtos de grande porte, como móveis, e itens da linha branca: geladeiras e fogões. A Amazon, por outro lado, continua fazendo entregas grátis para “usuários prime’. Já o Mercado Livre, que vem se aproximando cada vez mais dos grandes varejistas, conta com o serviço de entrega Full, em que o seller mantém seus produtos em galpões do próprio ML, garantindo a entrega em até 24 horas para milhares de produtos.

Toda essa movimentação mostra que, com a pandemia, as marcas perceberam o quão importante uma entrega agilizada fideliza o consumidor e sentiram que o público está cada vez mais exigente com prazos e disposto a abrir mão de descontos maiores para comprar em lojas que ofereçam frete grátis ou entrega mais rápida. Afinal, ninguém quer esperar dias para receber um produto ou pagar quase o valor da compra pela entrega.

Outra estratégia para esta edição é o cashback, benefício que devolve uma parte do valor da compra e tem se popularizado entre os brasileiros. Além disso, para ampliar o alcance de públicos e amplificar suas campanhas, o investimento em influenciadores digitais e embaixadores de marca tem disparado, por meio de comunicações estratégicas e com potencial de impacto em diversas plataformas.

E quando o assunto mexe no bolso, o que os consumidores podem esperar desta Black Friday?

O ano de 2020 foi marcado por incerteza e instabilidade no cenário econômico, fazendo com que os lojistas se mantivessem tímidos às super promoções. No entanto, este cenário vem dando espaço à promessa de que, em 2021, a Black Friday traga o mesmo clima de urgência de 2019, com campanhas extremamente agressivas e preços arrasadores, reduzindo até mesmo o impacto da alta do dólar na precificação de eletrônicos, por exemplo.

Temos percebido que as marcas buscam amenizar a frustração que muitos consumidores tiveram na Black Friday anterior, devido aos preços não tão agressivos e a incerteza econômica que paralisou alguns compradores. Como uma luz no fim do túnel, o avanço da vacinação tem feito com que os players do mercado varejista se movimentem durante todo o ano para entregar preços competitivos e amenizar os impactos da pandemia, propondo soluções mais competitivas e mais fortes que no ano passado. Há um multirão se preparando para um grande evento em 2021.

*Guilherme Vieira é CEO e fundador do Pelando

Tudo o que sabemos sobre:

ArtigoBlack Friday

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.