Bem-estar para você

Bem-estar para você

Efigênia Vieira*

23 de agosto de 2020 | 04h30

Efigênia Vieira. FOTO: ADRIANA PORTO

As mensagens positivas, algumas com rotas a seguir rumo ao bem-estar, são necessárias neste momento de perdas, transformações e incertezas. Estamos reconstruindo um mundo novo em suas várias esferas, sejam elas pessoais, profissionais ou sociais.

Antes da pandemia, lamentávamos os adoecimentos causados pelo frenesi do existir. Problemas impostos pela constante energia realizadora e a forma como respondemos aos estímulos repletos de pressão e resultados advindos de metas ambiciosas. Hoje, é muito comum encontrarmos jovens em busca de trabalho, sem retorno efetivo e já acometidos por diversos distúrbios como a ansiedade generalizada, baixa autoestima e o estresse.

Sem exageros ou intenção de autoajuda, reforço que todos temos nossa janela de percepção de mundo e a análise conta com dados reais. A crise para a renovação da esfera da humanidade é surreal e aguda. Nenhum mapa de risco conseguiu prever. Não há planejamentos de médio e longo prazo, sem uma mais válvula de escape, sem um respiro organizacional e pessoal.

Muitos ainda não possuem a segurança e a prontidão necessárias para a travessia. Estamos lidando com tempos em que os sobreviventes sofrem suas dores em um planeta, que também está machucado.

Neste contexto, os mais resilientes ou que adquiriram algo a mais, os chamados “antifrágeis”– àqueles que voltam das adversidades, ainda mais fortes e preparados para novos desafios – fazem uso de seus aprendizados e permanecem como eternos aprendizes (lifelong learning). Dessa forma, ocupam lugares de protagonista, usando o instrumental da autoestima equilibrada, transparência, do exemplo, da comunicação e da honradez.

Há lugares vazios em cadeiras de liderança. Procura-se líderes e gestores capacitados a encontrar a melhor performance e cultura pós e durante a nova construção empresarial e de seus mercados.

Como todo movimento, as incertezas trazem em si o embrião das possibilidades múltiplas. Muitos irão ousar e provocar ainda mais, o que dará impulso a novos começos.

Como nos proteger dos efeitos das perdas, solidão, tristeza e depressão não assistida?

Antes da pandemia, a conhecida “insônia” atingia cerca de 60% dos executivos. Também acometia jovens sem o sono reparador, depressivos e desejosos de construir a sua história, mas que se vêm barrados pelos adoecimentos. A maioria acometidos pelo estresse, difícil de suportar. Esta situação social e de saúde mental se alastrava entre executivos com idades de 30 a 60 anos. Hoje, não há os privilégios da idade. Qualquer um de nós que estejamos no sistema, lutando e buscando por um espaço, pode ser sujeito nesta roda que não pára de girar.

Trazendo para o momento atual, pode-se afirmar que a situação se agravou com este novo cenário. Salvo entre alguns poucos segmentos, que se beneficiam com este contexto, como por exemplo, o agronegócio tão aclamado. Temos sem dúvida um país agrário. Nossas riquezas são matérias-primas para o enriquecimento de outros países. Isto é fato. Indispensável tal relato.

Entretanto, eu, você e tantas outras pessoas, sabemos que uma história que carrega adoecimentos e lutos não resolvidos, dificulta a conquista do êxito pessoal e profissional.

Como relata o professor da Universidade de Harvard, Shawn Achor: “Ninguém chega ao topo sem estar bem”. Acordar sobressaltado no meio da noite, com pensamentos a mil, é uma realidade que pode estar bem próxima.

As exigências de aprendizagem e capacitação contínuas, aliadas a prontidão nas decisões de alta velocidade e comportamentos colaborativos e empáticos, destroem o “umbiguismo” presente em escalas anteriores.

A realidade é que ninguém está preparado para enfrentar grandes desafios, sem contar com a união de forças, que podem agir contra o estresse e exaustão. E ainda existe o agravante do líder. Este que se vê na responsabilidade de inspirar times, que lidam constantemente com a possibilidade de serem contaminados pelo perfil adoecido emocionalmente.

O fator emocional clama por auxílio. Sabemos que as emoções malcuidadas impactam na saúde, alegria e produtividade.

Por mais que ainda haja algum incomodo e preconceito quando se aborda este assunto, sabemos o quanto vem interferindo na saúde física, mental, espiritual e financeira das pessoas e de suas adoráveis carreiras e empresas. Apesar da individualidade das experiências, existem algumas pontuações a considerar:

Tenha a certeza de que dormir não é perda de tempo, mas sim vital para a sua saúde; encontre o seu próprio limite neste mundo que se apresenta, inicialmente, sem limites, a partir da revolução digital e trabalhe para conseguir uma rotina equilibrada; desligue o smartphone, pois ele prolonga o expediente e o cansaço – a luminosidade das telas à noite, engana a produção de melatonina e promove mais uma noite sem o descanso necessário; a meditação e a yoga mudam o foco e podem ajudar a amenizar a tensão; pratique a respiração profunda; se envolva em causas altruístas; adquira outro significado de vida; desenvolva o bom humor e o otimismo; experimente uma maior resiliência e a modelagem antifrágil. Se ponha a trabalhar em uma viagem nobre, ressignifique as suas experiências.

Mais do que tudo isso, abrace um novo modelo mental; troque o carro por caminhadas, sempre que possível; saiba que o álcool em excesso compromete o sono e a imunidade; desenvolva a auto-observação como estilo de vida; e por fim, adote uma boa alimentação e uma rotina regular de exercícios físicos. Se possível, mantenha-se no peso adequado.

Com pitadas diárias de empenho, saiba o quanto você é importante. Cuide-se bem, relaxe, diminua as luzes e se entregue ao nada para fazer em alguns períodos curtos do dia e ao anoitecer. Encontre no equilíbrio, a renovação que nos confere a força necessária para avançarmos no crescimento contínuo e na mudança. Saiba que nada se encontra fora de você.

“As emoções não expressas nunca morrem. Elas são enterradas vivas e saem nas piores formas mais tarde…” (Sigmund Freud, 1856-1939).

Seja um exemplo para seus times de trabalho, esbanjando boa saúde! Deixe claro para você e ao alto comando empresarial, que é possível ganhar sempre mais em rentabilidade, se houver alegria e satisfação. A melhor experiência do cliente, exige visão apurada do futuro que já começou!

*Efigênia Vieira, headhunter e CEO da Upside Executive Search

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: