Bazar terá que indenizar cliente humilhada por ‘furto’ de guarda-chuva

Bazar terá que indenizar cliente humilhada por ‘furto’ de guarda-chuva

Tribunal de Justiça do Distrito Federal condena Fu Família Atacado e Varejo, em Taguatinga, a pagar R$ 20 mil à cliente

Naomi Matsui, especial para o Blog

05 de outubro de 2016 | 08h45

TJDF. Foto: Facebook/ TJ-DF

TJDF. Foto: Facebook/ TJ-DF

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal condenou um bazar de Taguatinga a indenizar uma cliente que alegou ter sido ‘constrangida’ por um funcionário. Ela foi acusada publicamente de furto de um guarda chuva, o que, segundo a sentença da 1.ª Turma Cível do tribunal, ‘causou vexame e constrangimento’.

Fu Família Bazar Atacado e Varejo terá de pagar R$ 20 mil por danos morais.

Ao sair da loja, em 2014, a cliente teria sido abordada por um segurança, que a acusou de ter furtado um guarda-chuva. O vigia disse que ela teria de pagar pelo objeto.

A mulher negou se tratar de um caso de furto, disse que o guarda-chuva já pertencia a ela, mas acabou desembolsando o valor depois da insistência do funcionário.

O tribunal reiterou a decisão tomada em primeira instância. A 4.ª Vara Cível de Taguatinga julgou que a cliente foi ‘exposta à situação vexatória’ ao ser abordada em público de ‘forma constrangedora e humilhante’.

À Justiça, a loja não negou a abordagem, mas alegou estar ‘no pleno exercício do direito’ ao fazer a verificação e que a ação não teria violado os direitos de personalidade da cliente.

COM A PALAVRA, A LOJA FU FAMÍLIA BAZAR ATACADO E VAREJO

A Fu Familia afirma que havia recorrido da decisão anterior da Justiça e considera o valor da indenização desproporcional. Alega, entretanto, que, uma vez julgada, acatará a decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e que espera para realizar o pagamento.

Mais conteúdo sobre:

TJDF