Base da Lava Jato se rende ao coronavírus e suspende atendimento público

Base da Lava Jato se rende ao coronavírus e suspende atendimento público

Superintendência Regional da Polícia Federal no Paraná, reduto da maior operação já deflagrada no País contra a corrupção, interrompe atendimento ao público seguindo os normativos da corporação diante da crise do novo coronavírus; Unidades de Pernambuco e Rio de Janeiro também tomaram a medida

Redação

17 de março de 2020 | 11h30

Sede da Polícia Federal em Curitiba, berço da Lava Jato. Foto: JF Diorio/Estadão

A Polícia Federal no Paraná suspendeu todo o atendimento ao público em suas dependências seguindo os normativos da corporação diante da crise do novo coronavírus. A mesma medida foi tomada pelas superintendências em Pernambuco e no Rio de Janeiro e tem início nesta terça, 17.

Segundo a PF, os atendimentos previamente agendados também estão suspensos. Apenas as situações consideradas de extrema necessidade terão atendimento, e ainda assim dentro de condições pré-estabelecidas.

A corporação indicou que a expedição de passaporte somente será autorizada para as pessoas que tenham viagem devidamente comprovada nos próximos 30 dias. Já os pedidos de regularização migratória só serão atendidos os casos em que a comprovação da condição do imigrante seja indispensável para o exercício inadiável de direitos essenciais, como, situações de trabalho que gerem penalidades ao empregador e nas hipóteses de incidência de transplante de órgãos.

Não serão processados, diante da falta de urgência, os pedidos referentes à Naturalização e à Igualdade de Direitos e Obrigações, informou a PF.

Os prazos de vencimento de protocolos, carteiras e outros documentos relativos às atividades de Regularização Migratória serão prorrogados até o final da situação de emergência de saúde pública. Os prazos migratórios também foram suspensos.

Quanto ao controle da Segurança Privada e ao controle de Produtos Químicos os atendimentos emergenciais ao público deverão ser realizados pelos canais eletrônicos.

A validade das reciclagens dos vigilantes que venceram a partir de 12 de março será prorrogada até 12 de junho de 2020, podendo este prazo ser reavaliado, caso perdure o estado de emergência de saúde pública.

As autorizações de funcionamento das empresas de segurança privada e os certificados de vistoria dos veículos especiais de transporte de valores serão consideradas válidas até a análise final dos respectivos processos de revisão, desde que protocolados eletronicamente no prazo regulamentar. Já os prazos de pedidos de renovação de planos de segurança ou a validade destes planos não sofreram qualquer alteração.

Também estão suspensas todas as inspeções prévias e fiscalizações nas empresas que operaram com produtos químicos controlados e demais atividades presenciais de atendimentos, incluindo o atendimento ao público, exceto em situações urgentes, devidamente justificadas e após análise das autoridades locais da PF.

O controle de Armas de Fogo os processos gerados no SINARM2 continuarão a ser apreciados e decididos, desde que o requerente tenha realizado o upload dos documentos necessários. As unidades continuarão a realizar a conferência de toda a documentação apresentada, incluindo a verificação por semelhança da assinatura do requerimento com a assinatura do documento de identidade apresentado.

As notificações para complementação documental e demais instruções processuais do Sinarm serão procedidas eletronicamente por meio da troca de e-mails entre a unidade processante e o requerente. Caso seja necessário, entrevista poderá ser realizada por telefone. Tal procedimento valerá para os processos de aquisição, transferência e de porte de arma de fogo.

Com relação aos profissionais credenciados e licenciados pela Polícia Federal, ficam suspensos os credenciamentos de psicólogos e Instrutores de Armamento e Tiro bem como os licenciamentos de armeiros em âmbito nacional. A validade dos credenciamentos de psicólogos e instrutores de armamento e tiro e dos licenciamentos de armeiros que venceram a partir de 12 de março também será prorrogada até 12 de junho de 2020.

Outras situações excepcionais de atendimento serão deliberadas pela Chefia da unidade descentralizada da Polícia Federal.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: