Barroso defende punição ‘a quem acostumou a viver com dinheiro dos outros’

Barroso defende punição ‘a quem acostumou a viver com dinheiro dos outros’

Em São Paulo, ministro do Supremo Tribunal Federal disse que o Brasil 'é um País que se perdeu na História, se desencontrou de si mesmo'

Fausto Macedo e Julia Affonso

08 Agosto 2017 | 11h58

Luis Barroso. Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, disse nesta terça-feira, 8, que o Brasil é um País que ‘se perdeu na história’ e defendeu ‘punição adequada e proporcional às pessoas que acostumaram a viver com dinheiro dos outros, com dinheiro desviado do povo brasileiro’.

Em São Paulo, Barroso foi enfático ao pregar mudanças na rotina do País, inclusive na política, que ele definiu como ‘gênero de primeira necessidade’. As informações foram divulgadas pela Globo News.

“É imperativo que, com o devido processo legal, moderação, proporcionalidade, se cumpra a lei e se puna, adequada e proporcionalmente, essas pessoas todas que acostumaram a viver com dinheiro dos outros, com dinheiro desviado da sociedade e do povo brasileiro”, disse o ministro.

OUTRAS DO BLOG: + Juiz que ‘passeou’ com Porsche de Eike é condenado por peculato

PF atribui corrupção e lavagem de dinheiro a Gleisi e Paulo Bernardo

PF ataca benefícios a delatores que “em nada” ajudam investigação

CGU e PF investigam desvios de R$ 177 mi na saúde de Alagoas

Cabral pegou propina de R$ 144 mi do setor de transportes, acusa Procuradoria

“Somos um país que se perdeu na história, que se desencontrou de si mesmo, que se desencontrou da sua gente, que se desencontrou do seu destino”, seguiu Barroso.

O ministro sugeriu que ‘é preciso constatar isso para começar a mudá-lo’. Para ele, ‘política é um gênero de primeira necessidade, é por isso, aliás, que é preciso resgatá-la e devolver o espaço democrático, a credibilidade, respeitabilidade à política’.

Mais conteúdo sobre:

STFCorrupção