Autorresponsabilidade no cumprimento de metas

Autorresponsabilidade no cumprimento de metas

Fábio Pajaro*

25 de agosto de 2020 | 04h30

Fábio Pajaro. FOTO: ARQUIVO PESSOAL

Vamos admitir: temos uma tendência a, sempre que possível, atribuir nossos fracassos a fatores externos – e até mesmo a outras pessoas. Não se sinta mal por isso – esse sentimento, uma espécie de ferramenta de defesa, é absolutamente nosso, humano.

Mas agora façamos um exercício hipotético. Se, em vez de partir em direção ao aeroporto no horário sugerido pelo GPS, você sair de casa com 15 minutos de antecedência? Nesse caso, se o trajeto for percorrido dentro do tempo estimado, chegará ao terminal 15 minutos antes do necessário, ganhando um tempinho extra para folhear alguns livros ou tomar um café enquanto checa a sua caixa de e-mails. Perfeito, não?

Agora suponhamos que, em vez de 15 minutos antes, você opte por sair no horário exato, sem nenhum minuto para usar como margem de erro, e no trajeto para o aeroporto um acidente muda toda a configuração do trânsito, causando lentidão e atrasando em meia hora sua chegada ao portão de embarque. Caso perca o voo, você fatalmente irá culpar o GPS (pelo horário sugerido de saída), o acidente (que causou lentidão no caminho) e o próprio tráfego lento. E fatalmente ficará se lamentando: por que não saí de casa 15 minutos antes?

Se tivesse sido mais cauteloso, poderia dizer-se que você havia sido autorresponsável. A chamada autorresponsabilidade é a capacidade que temos de trazer para nós próprios toda a responsabilidade acerca de tudo que acontece em nossas vidas. Mesmo que muitos fatores estejam fora de nosso controle, como a mudança na condição do trânsito no exemplo acima, precisamos nos responsabilizar também por eles, assumindo posturas e tomando atitudes que nos permitam cumprir nossos objetivos diante de situações adversas – no caso, chegar ao aeroporto a tempo de pegar o voo, mesmo com a súbita mudança na condição do tráfego.

No âmbito corporativo, o profissional autorresponsável é aquele que antevê eventuais falhas na cadeia de produção da qual faz parte, atuando preventivamente para que todos os elos da corrente cumpram seu papel. Se por alguma razão algo pode dar errado em alguma etapa – e, acredite, fatores inesperados surgem a todo momento –, este profissional já tem estruturada uma série de medidas a serem tomadas, de forma que aquele percalço, acidente ou incidente não impeça a entrega do produto ou a conclusão do serviço dentro do prazo determinado.

Desta maneira, a autorresponsabilidade é uma característica a ser fomentada e desenvolvida nas empresas. Neste período em que o home office se tornou quase regra para a maioria dos setores, é fundamental o estímulo ao compromisso pessoal de cada colaborador com suas entregas. Estimular que todos os profissionais de determinado setor adotem uma postura autorresponsável fará com que se sintam parte das soluções essenciais ao cumprimento das metas não só do seu departamento, mas da companhia como um todo. E, desta forma, eles contribuirão decisivamente – fazendo a sua parte e auxiliando os colegas em suas eventuais dificuldades – para que os objetivos propostos para a empresa sejam alcançados.

*Fábio Pajaro atuou na gestão de diferentes empresas de prestação de serviços como Call Canter, Tecnologia da Informação, Sistemas de Telemetria e Locação de Equipamentos

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: