Auditora da Receita confessa ‘vazamento’ de busca e apreensão contra Lula

Auditora da Receita confessa ‘vazamento’ de busca e apreensão contra Lula

Rosicler Veigel disse à Operação Lava Jato que jornalista namorado pegou de sua bolsa cópia da decisão do juiz Sérgio Moro que, em março de 2016, mandou Polícia Federal conduzir coercitivamente ex-presidente

Luiz Vassallo

06 de junho de 2017 | 19h16

A auditora da Receita Federal Rosicler Veigel voltou atrás e assumiu ter vazado informações sobre mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao seu namorado, Francisco, que é jornalista. A confissão ocorreu em depoimento à Operação Lava Jato. No entanto, ela afirmou ter sido ‘usada’ pelo profissional de comunicação e o acusou de pegar da sua bolsa a decisão judicial sigilosa.

As informações são do site O Antagonista, que teve acesso ao relato de Rosicler.

Documento

Em um primeiro depoimento, a auditora assumiu ter uma relação amorosa com o jornalista, mas negou saber como ele soube das buscas e apreensões na casa de Lula.

Posteriormente, ela ratificou o depoimento e admitiu não apenas ter falado que comentou sobre uma ‘bomba’ relacionada ao petista, como também disse ao namorado que a decisão judicial estava em sua bolsa.

“Francisco pegou a decisão de sua bolsa sem que a declarante notasse; Que então foram para o apartamento dele, já mais tarde, e que ele começou a efetuar ligações, alegando que estava com problemas com o filho; Que a declarante ficou no quarto de Francisco, vendo TV e lendo livros, enquanto ele realizava tais ligações; Que lá no apartamento de Francisco, a declarante percebeu que ele estava de posse da decisão judicial e o confrontou; Que só então tomou conhecimento que ele havia pego a decisão de sua bolsa”, aponta o documento.

Ela disse que ‘jamais iria prejudicar sua carreira compactuando com a divulgação de tais dados’.

O namorado da auditora repassou as informações ao blogueiro Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania, que chegou a ser alvo de busca e apreensão e condução coercitiva, por ordem do juiz federal Sérgio Moro.

Moro se declarou suspeito para julgar processos que envolvem o blogueiro.

Mais conteúdo sobre:

operação Lava Jato