Até quando?

Até quando?

Flavio F. de Figueiredo*

24 de junho de 2019 | 11h05

Flavio F. de Figueiredo. FOTO: DIVULGAÇÃO

Mais uma vez, o descaso dos gestores de São Paulo para com a cidade está prejudicando – e muito – a vida de dezenas de milhares de seus habitantes. Desta vez, foi um incêndio em barracos erigidos sob a Ponte do Jaguaré que motivou sua interdição.

Não aprenderam a lição? Pontes e viadutos, dentre outras obras de infraestrutura, precisam ser continuamente inspecionados.

Quando se fala em inspeção, não é só da obra em si, mas de tudo aquilo que a possa colocar em risco.

Por que deixar que barracos permaneçam sob pontes e viadutos, se já sabemos – por outras ocorrências semelhantes – que seu incêndio pode danificar as estruturas?

Sob nenhum ponto de vista lógico, essa inércia tem justificativa.

Tecnicamente, há um uso nocivo da obra de infraestrutura, que a coloca em risco.

Um incêndio atingiu a parte debaixo da ponte do Jaguaré, , na Marginal do Pinheiros, no sentido de Interlagos, na manhã desta sexta-feira, 21. Foto: Werther Santana / Estadão

Examinando sob a ótica econômica, o custo para a cidade para recuperar a obra afetada e para seus habitantes afetados pela paralisação é muitíssimo superior ao custo para remover para, local mais digno e seguro, as famílias que se instalaram sob a ponte.

Só vejo algumas explicações absurdas para essa inércia, que deixa que algumas famílias prejudiquem toda uma região da cidade: falta de vontade ou capacidade de agir, demagogia ou medo de reação de uma fatia de formadores de opinião.

Nenhuma dessas explicações pode ser aceita passivamente, pois a cidade não aguenta mais desaforos!

*Flávio Figueiredo, engenheiro Civil, Consultor– Coordenador do livro ‘Vistorias em Obras Civis – Aplicações em Administração de Ativos e Gestão de Conflitos’ – Editora Leud, 2018.

Tendências: