Em reconstituição, Pelado protege irmão e nega ter atirado em Bruno e Dom; assista

Em reconstituição, Pelado protege irmão e nega ter atirado em Bruno e Dom; assista

Amarildo da Costa Oliveira relatou à Polícia Federal como o indigenista Bruno Pereira e o repórter britânico Dom Phillips foram executados a tiros no Vale do Javari

Redação

22 de junho de 2022 | 05h01

Suspeito voltou com policiais ao local onde corpos de Bruno e Dom foram achados no Vale do Javari. Foto: Wilton Junior/Estadão

O pescador Amarildo da Costa Oliveira, o Pelado, tentou proteger o irmão Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como Dos Santos, na reconstituição dos assassinatos do indigenista Bruno Pereira e do repórter britânico Dom Phillips.

Ao voltar acompanhado dos policiais federais ao local do crime, no último dia 15, ele disse que Jeferson da Silva Lima, o Pelado da Dinha, foi quem atirou contra Bruno e Dom. De acordo com o relato, o indigenista morreu em uma troca de tiros e o jornalista foi executado depois que o barco em que estavam encalhou na margem do rio Itaguaí ao perder o controle.

Amarildo negou que o irmão tenha participado da execução e da ocultação dos corpos. A versão é a de que Oseney estava em outro trecho no rio no momento do crime e, portanto, não viu ou ouviu os disparos.

Os três estão presos sob suspeita de participação no assassinato.

Assista a reconstituição: 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.