Assista à posse de Luiz Fux na presidência do Supremo

Assista à posse de Luiz Fux na presidência do Supremo

Cerimônia será restrita em razão da pandemia do novo coronavírus; ministro assume no lugar de Dias Toffoli

Redação

10 de setembro de 2020 | 15h56

O ministro Luiz Fux será empossado como presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça para o biênio 2020-2022, nesta quinta-feira, 10, em cerimônia restrita em razão da pandemia do novo coronavírus. A ministra Rosa Weber será conduzida ao cargo de vice-presidente das duas Casas.

Fux assume o lugar de Dias Toffoli, que comandou ontem a última sessão como dirigente do Tribunal. Membros da Corte e o presidente Jair Bolsonaro prestaram homenagens ao ministro.

O ministro Luiz Fux. Foto: Carlos Moura / STF

Como mostrou o Estadão, a nova gestão ainda é uma incógnita para o Palácio do Planalto. Em transmissão do vivo no início do mês, o novo dirigente do STF afirmou que vê com ressalvas o protagonismo assumido pela Corte nos últimos tempos e lamentou que o Tribunal seja chamado a decidir com cada vez mais frequência sobre impasses políticos.

Na ocasião, o ministro adiantou que pretende iniciar uma gestão focada em três frentes: defesa do meio ambiente, combate à corrupção e digitalização do Tribunal.

Indicado ao cargo pela então presidente Dilma Rousseff (PT), Fux é considerado um ministro reservado, rigoroso e sensível à opinião pública, um aliado da Operação Lava Jato, devendo inaugurar uma fase mais ‘linha dura’ no comando do Supremo.

Currículo

Nascido no Rio de Janeiro, Luiz Fux se tornou bacharel em Direito pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), instituição na qual também obteve o título de doutor em 2009. Também é professor titular de Processo Civil na universidade.

Fora do magistério, iniciou a sua carreira como advogado da petroleira Shell entre os anos de 1976 e 1978, de acordo com o seu currículo disponível no site do STF. Depois, tornou-se promotor de justiça no Rio de Janeiro e, em 1983, torna-se juiz e juiz eleitoral do Tribunal de Justiça fluminense e, em 1997, desembargador do Estado.

Em 2001, foi nomeado ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Discreto, o ministro é judeu, faixa-preta em jiu-jítsu, torcedor do Fluminense e foi guitarrista na adolescência.

Tudo o que sabemos sobre:

Luiz Fux

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: