As vantagens de ser idiota (do tipo certo)

As vantagens de ser idiota (do tipo certo)

Cassio Grinberg*

26 de outubro de 2019 | 05h00

Cassio Grinberg. FOTO: DIVULGAÇÃO

Aos 35 anos de idade, Katrina Lake, fundadora da Stitch Fix, se tornou a mulher mais jovem a abrir capital na bolsa Nasdaq. Tendo detectado a oportunidade de “uberizar” soluções mais acessíveis de Personal Stylist, criou uma empresa que tem hoje mais de 5 mil funcionários, avaliada em 2 bilhões de dólares.

Perguntada sobre a concepção e a condução da ideia, ela revelou que, mesmo tendo captado 500 mil dólares como investimento inicial (após ter escutado pelo menos 20 nãos), ela teve que suportar mais dezenas de negativas até obter o capital suficiente para de fato escalar o negócio. Ela costuma dizer que, se você está fazendo algo que ninguém mais está fazendo, ou você é a pessoa mais esperta, ou a mais idiota da sala.

Somos, de fato, idiotas: mas não do tipo certo. Somos o tipo errado de idiotas: aqueles que têm medo de ser do tipo certo. Somos os idiotas que acreditam em conselhos de fábrica, ter no máximo um filho e passar o maior número de horas fora de casa, somos os que não tentam o suficiente, e não o fazemos por sermos dominados pelo medo daquilo que imaginamos que os outros pensam. Nos esquecemos de que o mundo tem memória curta, e que nossos pequenos fracassos não são temas de tantas conversas assim. Mas nos esquecemos, principalmente, das vantagens de ser o tipo certo de idiota.

À exceção da raridade, ninguém se torna o mais esperto sem ter sido, antes, o maior idiota da sala: ao nos permitirmos sermos o idiota, ganhamos a chance de descobrir o erro, corrigir, e ir a mercado antes: antes mesmo que os mais “espertos” da sala percebam que ali havia, de fato, uma oportunidade.

Durante o evento de IPO da Stitch Fix no final do ano passado, Katrina Lake permaneceu o tempo todo com seu bebê de 14 meses no colo. Jeff Bezos, CEO da Amazon, contou recentemente que passa no máximo 10% do tempo viajando a trabalho, que tem quatro filhos fantásticos e uma esposa que diz ainda gostar dele. O homem mais rico do mundo faz algo que soaria idiota para muitos dos idiotas do tipo errado: lava os pratos todas as noites, e diz que esta é a coisa mais sexy que ele faz.

*Cassio Grinberg, sócio da Grinberg Consulting

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Tendências: