As três baixas de Temer

As três baixas de Temer

Depois de Romero Jucá (Planejamento) e Fabiano Silveira (Transparência), chegou a vez de Henrique Eduardo Alves, do Turismo

Redação

16 de junho de 2016 | 17h47

Romero Jucá (à esq.), Fabiano Silveira e Henrique Eduardo Alves. Foto: Estadão

Romero Jucá (à esq.), Fabiano Silveira e Henrique Eduardo Alves. Foto: Estadão

Em apenas 34 dias, o governo interino de Michel Temer (PMDB) sofreu três baixas importantes. O peemedebista perdeu o senador Romero Jucá (PMDB-RR), no Ministério do Planejamento, Fabiano Silveira, no Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle, e nesta quinta-feira, 16, Henrique Eduardo Alves, no Ministério do Turismo. Todos caíram na Operação Lava Jato.

[veja_tambem]

Jucá e Henrique Alves teriam sido beneficiários de recursos ilícitos, segundo o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, delator-bomba.

Fabiano Silveira caiu porque teria tramado contra a Lava Jato. Ele foi flagrado em conversas com o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL), alvo de 12 inquéritos da Lava Jato no Supremo, no qual o hoje ministro da pasta de combate à corrupção criticava as investigações da operação.

O áudio pegou Fabiano Silveira dizendo que ‘os caras’ da Procuradoria-Geral da República estão ‘perdidos’. Na época, Silveira era conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava Jato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: