As razões de Teori para contrariar Janot em decisão sobre Lula

As razões de Teori para contrariar Janot em decisão sobre Lula

A íntegra da ordem do ministro do Supremo Tribunal Federal que encaminhou à Justiça Federal em Brasília, e não para o juiz Sérgio Moro, acusação contra o petista por supostamente tramar contra a delação de Nestor Cerveró

Isadora Peron e Gustavo Aguiar, de Brasília

25 de junho de 2016 | 05h55

Lula esteve em Brasília nesta quarta-feira, 4. Foto: Fernando Bizerra Jr/EFE

Lula. Foto: Fernando Bizerra Jr/EFE

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu em treze páginas enviar para a Justiça Federal em Brasília, e não para o juiz Sérgio Moro, em Curitiba – base da Operação Lava Jato -, denúncia contra o ex-presidente Lula por obstrução à Justiça ao supostamente tramar contra a delação do ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró (Internacional).

A ordem de Teori contraria o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que requereu o deslocamento da denúncia para as mãos de Moro.

Documento

O ministro considera que esse episódio não tem conexão com a essência das investigações da Lava Jato – corrupção, fraudes e cartel na Petrobrás.

Tudo o que sabemos sobre:

Lulaoperação Lava Jato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: